segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Desafio Literario 2011 - Janeiro: Mary Poppins - P. L. Travers (Livro 2)


Tema: Literatura Infanto-Juvenil (Livro 2)

Mes: Janeiro

Um pouco sobre o mim

Eu sou a: Lia

Moro em: Portage - Michigan (EUA)

Na net, você me encontra: Quero Morar em uma Livraria

Neste mês, eu li:

Titulo: Mary Poppins (Livro 2)

Autora do livro: P. L. Travers
 
Editora: Houghton Mifflin Harcourt (Serie Odyssey Classics)

Nº de páginas: 210

Quando vi a capa do livro, o que me chamou mais atencao foi: Mary Poppins na cena classica e acho que mais conhecida: voando com seu guarda chuva e segurando a valise.

O livro eh sobre:

A história se passa em Londres e conta a historia dos Banks, uma familia londrina com dificuldades de relacionamento: o pai, o senhor Banks, eh um sujeito enfadonho e dedica mais tempo ao seu oficio de banqueiro do que as suas criancas. Os filhos, por sua vez, sao excessivamente teimosos e temperamentais. Felizmente para todos, os ventos do leste sopram e Mary Poppins chega para por ordem na bagunça;com seu jeitinho super especial e toque magico devolveu ao senhor Banks a sua humanidade e recuperou o amor que faltava às crianças.


Mary Poppins é o primeiro de uma série de  livros infanto-juvenis escritos pela escritora australiana Pamela Lydon Traves (ou P. L. Travers),  publicado originalmente em1934.

Eu escolhi esse livro porque: sempre tive curiosidade de ler esse livro, porque lembro que adorava o filme quando era crianca.
A leitura foi: gostosa, ate mais ou menos a metade do livro, depois foi meio dificil continuar. Acho que nao simpatizei muito com a Mary Poppins do livro; ela eh bem mais ranzinza do que a do filme..rs..Como li em um artigo, a Mary do livro eh azeda e caustica, rude, franca e vaidosa, mais como P. L. Travers do que como Julie Andrews (atriz que interpretou Mary no filme).

A personagem que eu gostaria mais de ter conhecido eh: a propria Mary Poppins, eh claro...quem nao gostaria de ter uma baba magica como ela, que desliza para cima no corrimao da escada, conversa com animais, carrega toda sua bagagem dentro de um tapete magico, e leva a tristeza embora apenas dizendo " Spit-Spot".


A nota que eu dou para o livro: 3

( 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5- Adorei)



Sinceramente...esperava mais desse livro. Fiquei com altas expectativas por causa do filme e acabei achando o livro bem fraco, as vezes ate um pouco chato. Nao vi tantas mudancas na familia provocadas pela presenca da baba, como eh descrito em varias sinopses que encontrei, inclusive na que coloquei aqui. Eh um classico infantil, vale a pena ler, mas nao me cativou.

Acho que pode ate fazer uma comparacao entre esse livro e Alice nos Pais das Maravilhas, mas so em relacao ao "nonsense", coisas muito sem sentido que ocorrem no decorrer da historia. Por exemplo, quando as criancas vao ao Zoologico, mas nas jaulas, ao inves de animais, estao seres humanos.


Sobre a autora:



Pamela Lyndon Travers - nascida Helen Lyndon Goff  (Maryborough - Australia, 9 de agosto de 1899 - Londres, 23 de abril de 1996) foi uma atriz, jornalista e escritora australiana, mais conhecida por ser autora dos livros com a babá Mary Poppins.



Estatua de Mary Poppins em Ashfield Park na cidade de Maryborough, Queensland, onde a escritora nasceu.


Outros livros da serie Mary Poppins:

Mary Poppins Comes Back;
Mary Poppins Opens the Door;
Mary Poppins in the Park.

Curiosidades

Em 1964, depois de 26 anos em planejamento, a maior parte do tempo para convencer a Sra. Travers a vender os direitos para os estúdios Disney, estreou o filme Mary Poppins. A Sra. Travers só concordou em vender os direitos autorais do livro no final da década de 1950, quando os livros de Mary Poppins vendiam bem menos. A história do filme, é diferente das histórias do livro, tendo talvez somente uma cena ou outra igual, porém todas modificadas e adaptadas para a personagem de Mary Poppins não parecer tão fria quanto no livro. O destaque do personagem Bert (que pouco aparece nos livros da Mary Poppins), faz as vezes de outros personagens do livro que foram cortados no filme.
No filme também foram cortados John e Barbara, os bebês gêmeos da família Banks. Vale notar também, que Pamela Travers não queria mostrar romance algum entre Mary e Bert no filme, mesmo tendo mostrado uma certa paquera entre os dois em seus livros. Apesar disso, o número musical do filme "Jolly Holiday" (Um dia Tão Feliz), em que Bert canta para Mary, foi uma decepção para a autora, pois deixava bem claro que eles tinham um affair.



Fonte da Pesquisa: Wikipedia

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

A Vintage Affair - Isabel Wolff

"Every dress has a history.
And so does every woman."

"What a strange power there is in clothing..." Isaac Bashevis Singer

Definicao de moda vintage (Wikipedia): é uma moda retrógrada, uma recuperação de estilos dos anos 1920, 1930, 1940, 1950 e 1960. O termo "vintage" se refere a safra de vinho, colheita ou producao de determinado periodo. De um modo geral, eh utilizado para coisas antigas, com um certo charme.



Sinopse: "A Vintage Affair" conta a história de Phoebe Swift, uma especialista em história da moda que decide deixar o seu emprego na prestigiosa leiloeira Sotheby’s para abrir o seu próprio negócio – uma pequena loja de roupa vintage no Sul de Londres, chamada Vintage Village. Ao mesmo tempo, Phoebe está lidando com a recente perda da sua melhor amiga, Emma, e com a separação do seu noivo. Por isso, refugia-se no trabalho – restaurando as maravilhosas e antigas peças de roupa que compra, revendendo-as para que tragam algum glamour à vida das suas clientes. Mas Phoebe não consegue deixar de pensar nas “vidas passadas” destas roupas – nas histórias que contariam se pudessem falar.


Um dia conhece Thérèse Bell, uma senhora de idade, de origem francesa, com uma belíssima colecão de moda para vender. Entre os fatos elegantes e vestidos de alta-costura, Phoebe encontra um casaquinho azul de criança  que data da época da Segunda Guerra Mundial – uma peça que a Sr.ª Bell se recusa a vender. À medida que se vão tornando amigas, Phoebe vai escutando a triste e inspiradora história por trás do casaquinho azul – e vai descobrir uma ligação inesperada entre a vida da Sr.ª Bell e a sua, uma ligação que lhe permitirá libertar-se da dor do passado e voltar a amar."

Titulo em portugues: "Um amor de segunda mao" - nao sei se tem edicao brasileira, esta eh portuguesa  (Editora Contraponto)


"When you buy a piece of vintage clothing, you're not just buying fabric and thread. You're buying a piece of someone's past."


A primeira coisa que me chamou atencao quando vi esse livro na Barnes foi o titulo; amo tudo que eh vintage. Depois, foi a capa, maravilhosa, com vestidos em manequins (no livro esses vestidos sao chamados de "cupcakes"). Quando vi a sinopse, pensei: tenho que ler esse livro! Amo moda! So que era lancamento, hardcover...meio caro. Um dia, quando estava com minha filha na biblioteca da cidade, resolvi procura-lo. E achei...(a biblioteca daqui eh simplesmente maravilhosa..tudo quanto eh livro tem la...)

E valeu a pena, o livro eh lindo...vale pela descricao das roupas, da vontade de sair correndo atras de um brecho...rs...a historia tambem eh emocionante, tanto a da personagem principal, Phoebe, quanto a da Sr.ª Bell; quase chorei em varios trechos. Nao da para entrar em detalhes sem revelar partes importantes; achei muito bonita a amizade que se desenvolve entre as duas e o quanto isso muda a vida de Phoebe. O meio do livro eh um pouco parado, achei que a escritora enrola um pouco e gostei muito do final, estava torcendo para ela terminar o livro com...(nao posso contar! Leiam!)

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Meme - Expectativas Literarias 2011


Recebi esse meme das garotas Gabi e Re do blog Magia em Paginas . Muito obrigada pela lembranca!

Meta de Leitura em 2011: mais do que em 2010; ou seja, mais do que 100 (gostaria de chegar aos 150..vamos ver!)

Primeiro do ano: Peter and Wendy - J. M. Barrie

Genero que vou ler mais: Nao tenho preferencia; leio de tudo um pouco

Genero que vou ler menos: Quase nunca leio Auto-Ajuda

Lancamento internacional mais aguardado: A Red Herring Without Mustard: A Flavia de Luce Novel (Flavia De Luce Mysteries) - Alan Bradley

Lancamento nacional mais aguardado: Nao tenho acompanhado muito os lancamentos nacionais depois que me mudei para os Estados Unidos...

Continuacao da saga mais aguardada: Flavia De Luce Mysteries

Final de saga mais aguardado: Flavia De Luce Mysteries (eh a unica saga que tenho lido ultimamente, por isso foi a unica citada)

Proximas compras: The King's Speech - Mark Logue e Peter Conradi; By Nightfall: A Novel - Michael Cunningham; Boom! - Mark Haddon; The Lake of Dreams: A Novel - Kim Edwards; The Red Pyramid (The Kane Chronicles, Book 1) - Rick Riordan; The Accidental Billionaires: The Founding of Facebook: A Tale of Sex, Money, Genius and Betrayal - Ben Mezrich e muitos, muitos outros...

Indico: quem quiser!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Desafio Literario 2011: Peter and Wendy - J.M. Barrie

All children except one grow up

Tema: Literatura Infanto Juvenil
Mês: Janeiro
Um pouco sobre o mim

Eu sou a: Lia

Moro em: Portage - Michigan (EUA)

Na net, você me encontra: Quero Morar em uma Livraria
Neste mês, eu li:


Título: Peter and Wendy

Autor do livro: J.M. Barrie

Editora: Sterling Classics

Nº de páginas: 160

Quando vi a capa do livro, o que mais chamou a minha atenção foi: Achei bem diferente a capa desse livro, pois mostra um Peter Pan mais proximo do que Barrie descreveu e nao o Peter que estamos acostumados a ver, do desenho da Disney. Eh meio vintage e muito bonita.

O livro é sobre: De um modo geral, sobre o fim da infancia, sobre crescer e perder a inocencia. Eh a verdadeira história de Peter Pan, o menino que fica furioso com a simples idéia de crescer. É também a história de Wendy, uma menina que adora brincar de ser adulta. Eh uma historia de  aventura emocionante e cheia de significados, na qual temas como família, coragem e amor ao próximo são abordados com profundidade e sensibilidade.

Eu escolhi este livro porque: Gosto muito dessa historia e sempre quis ler a original, pois so conhecia a do desenho.

A leitura foi: Divertidissima. O livro eh otimo, bem diferente do desenho. Eh claro os personagens sao os mesmo, a historia tambem, mas o livro nos leva a uma Terra do Nunca muito mais violenta do que no desenho; os Meninos Perdidos lutam com os piratas e matam-nos; fiquei na verdade um pouco assustada com a crueza nessas cenas..rs..Peter Pan tambem eh um pouco menos infantil; chega a ser maldoso as vezes, como as criancas sao de vez em quando; fazem algo sem pensar nas consequencias.

Tambem, diferente do desenho, o livro conta o que acontece depois que as criancas voltam da Terra do Nunca, mostra Wendy crescida e como Peter lida com isso.

O personagem que eu gostaria de ter conhecido é: o proprio Peter. Por quê? Ele eh travesso porque nao teve uma mae presente; gostaria de mostra-lo que maes nem sempre sao tao ruins como ele pensa..rs..

Os trechos do livro que merecem destaque:

" - Quem eh voce, Peter Pan? - Gancho gritou, desesperado.
  - Eu sou a juventude, sou a alegria, sou um passarinho que acabou de sair do ovo - Peter respondeu, sem pensar."
"Quando o primeiro bebê riu pela primeira vez,o riso se despedaçou em milhares de partes e todas elas se espalharam, foram saltando. E assim nasceram as fadas."

" - Ah, bons tempos aqueles, em que eu sabia voar...
   - Por que voce nao sabe mais, mamae?
   - Por que eu cresci, querida. A gente desaprende quando cresce.
   - Por que a gente desaprende?
   - Por que a gente nao eh mais alegre...so pessoas alegres e inocentes sabem voar..."
(Wendy conversando com sua filha)


A nota que eu dou para o livro: 5

( 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5- Adorei)


Sobre o autor:


Nascido na Escócia, em 1860, James Barrie mudou-se para Londres para seguir carreira jornalística e literária. Peter Pan, de 1904, surgiu quando o autor contava histórias para um grupo de meninos nos jardins de Kensington, onde hoje existe uma estátua do personagem. O primeiro nome de Peter Pan foi, com quase certeza, tirado de Peter Llewellyn Davies (1897-1960), um dos irmãos Llewellyn Davies. Peter, que se tornou editor, cometeu suicídio em 1960, se jogando na frente de um metrô. É dito que Peter se tornou muito infeliz ao longo da vida, por nunca conseguir se desassociar do personagem que recebeu seu nome.


Estatua de Peter Pan em Londres

O pai do autor, David Barriquelo, era um fiandeiro e sua mãe, Margaret Ogilvy, a filha de um pedreiro. O casal teve dez filhos e Barrie foi o nono. Jamie, como era chamado, ouvia histórias de piratas contadas por sua mãe que lia para seus filhos as aventuras de R. L. Stevenson. Quando Barrie tinha sete anos, seu irmão David morreu em um acidente de patinação. David fora o filho preferido e sua mãe caiu em depressão. Barrie tentou conseguir sua afeição vestindo-se com as roupas do irmão falecido. A relação obsessiva que surgiu entre mãe e filho marcaria sua vida. A história de aventura de Barrie foi a conseqüência da sua não revelada busca pelo amor. Peter Pan serviu como uma consolação pela falta de afeição recebida pelas duas mulheres mais importantes de sua vida: sua mãe e sua esposa. Barrie escreveu a peça numa tentativa de definir seu remorso por perder sua infância e nunca ter tido um filho ou filha como Peter ou Wendy.

Peter Pan foi produzido para os palcos em 1904, mas a peça teve que esperar vários anos por uma versão imprimida definitiva e não apareceu com uma historia narrativa até 1911. O livro foi intitulado Peter e Wendy. No epílogo do romance, Peter visita uma Wendy já adulta.

A historia da criacao da peca eh retratada de um modo muito bonito no filme "Finding Neverland" (Em Busca da Terra do Nunca) com Johnny Depp no papel de Barrie e Kate Winslet no papel de  Sylvia Llewelyn Davies, mae dos garotos que ouviam as historias do escritor. Muito lindo e emocionante. Trailler do filme:






Observacao: achei bem interessante um trecho do filme em que Barrie conversa com uma senhora idosa apos a primeira apresentacao da peca e ela diz para ele: " O relogio dentro do crocodilo eh o tempo passando, nao eh? Nao temos como fugir do tempo..."

 
Fonte da pesquisa: Wikipedia



quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Jules e Jim - Henri-Pierre Roche

Sinopse: Jules e Jim - o romance, o roteiro fala sobre amizade, o sentimento de intensa afinidade entre dois homens dispostos a qualquer coisa para propiciar felicidade um ao outro - inclusive partilhar o amor de uma mesma mulher. Eh também a corajosa abordagem dos labirintos da paixao que nao obedece as convencoes sociais.

Um livro, um filme, duas obras-primas. Se François Truffaut não houvesse encontrado por acaso, num sebo de Paris, o genial romance de Henri-Pierre Roché, não teria feito Jules e Jim - filme que sintetiza todos os postulados da Nouvelle Vague. Nessa obra, que reúne o romance e o roteiro decupado e ilustrado do filme, o leitor  irá desfrutar da leitura de uma narrativa em estilo moderno, telegráfico, incisivo e delicado. Além de descobrir o universo original de Jules e Jim, e ter o privilégio de recompor os meandros dessa feliz adaptação e perceber por que Truffaut sentiu-se obrigado a manter diversos trechos intactos do romance em sua obra.


Em 1955, o entao jovem critico de cinema François Truffaut comprou por intuicao, em um sebo de Paris, o primeiro livro do ainda desconhecido Henri-Pierre Roche. Atraido pela sonoridade do titulo e pela idade do autor - 76 anos -, Truffaut logo se deixou encantar pela feicao cinematografica da obra. Dias depois ele mencionava, em um artigo de jornal, seu desejo de filmar o livro de Roche, que, comovido, respondeu ao cineasta enviando-lhe outro romance. Nascia assim uma profunda amizade, marcada pela admiracao reciproca. Infelizmente, o escritor nao chegou a ver seu romance nas telas, faleceu antes.


Comprei o filme Jules e Jim quando ainda estudava frances, mas nao sei porque, nunca assisti. Ano passado, na Bienal, achei o livro, com 50% de desconto. Resolvi compra-lo porque sempre prefiro ler o livro antes de ver o filme. O livro contem o romance, o roteiro, varias fotos do filme e uma pequena entrevista com o cineasta. Eu conhecia a historia mais ou menos por alto e depois de ler o livro e ver o filme, vou confessar: me apaixonei! O livro eh otimo, uma historia muito linda sobre amizade, um amor muito diferente, de uma mulher por dois homens..ou dois homens por uma mesma mulher, ja que nao acredito muito que ela amava-os... Na entrevista com o cinesta no livro ele diz: (o livro)" eh tambem uma historia sobre o amor, com a ideia de que, nem sempre sendo o casal a solucao ideal e satisfatoria, parece legitimo buscar uma moral diferente, outros modos de vida, embora todos esses arranjos estejam fadados ao fracasso."

Sobre Kathe (Katherine no filme) ele diz: "Provavelmente a jovem mulher de Jules e Jim quer viver da mesma forma que um homem, mas esta eh apenas uma particularidade de seu carater e nao uma atitude feminista e reivindicatoria."

Eu, particularmente, nao me simpatizei com Kathe, na verdade, em certos momentos, principalmente no final, fiquei com muita, mas muita raiva dela..rs..a amizade dos dois eh tao bonita e ela aparece para baguncar tudo!! E o mais doido em tudo isso, eh que eles a dividem e continuam super amigos! Imagino que na epoca (1962), essa historia tenha chocado muitos; hoje talvez nao...

O filme eh bem fiel ao livro, mudaram poucas coisas, resumindo um pouco o inicio da historia, que mostra varios outros casos amorosos da dupla e entrando diretamente no romance dos dois com Kathe. Eh lindo, os atores sao lindos, Jeanne Moreau esta muito bem no papel; se bem que a Kathe do livro eh muito mais louca do que a do filme...rs

Coloquei aqui o trailler do filme, com legendas em ingles. Recomendo os dois, vale a pena!

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Retrospectiva Literaria


Hoje eh o ultimo dia para postar os livros escolhidos para Retrospectiva Literaria criada pela Angelica do blog Pensamento Tangencial. Tive muita dificuldade para escolher so um livro em alguns topicos, entao acabei escolhendo mais de um. Minhas escolhas:


RETROSPECTIVA LITERÁRIA 2010


•O livro infanto-juvenil que mais gostei:  As Cronicas de Narnia - C. S. Lewis

•A aventura que me tirou o fôlego: A Rainha do Castelo de Ar - Stieg Larsson

•O terror que me deixou sem dormir: nao costumo ler livros de terror, mas esse me assustou um pouco pela brutalidade: Uma Vida Interrompida - Memorias de um Anjo Assassinado - Alice Sebold
•O suspense mais eletrizante: Confie em Mim - Harlan Coben

•O romance que me fez suspirar: Um Hotel na Esquina do Tempo - Jamie Ford

•A saga que me conquistou: Percy Jackson e os Olimpianos - Rick Riordan

•O clássico que me marcou: Razao e Sensibilidade - Jane Austen

•O livro que me fez refletir: A Vida na Porta da Geladeira - Alice Kuipers

•O livro que me fez rir: Sheila Levine esta morta e vivendo em Nova York - Gail Parent

•O livro que me fez chorar: A Guerra de Clara - Clara Kramer

•O melhor livro de fantasia: Penelope - Marilyn Kaye

•Os livro que me decepcionaram: sao dois: Orgulho e Preconceito e Zumbis - Seth Grahame-Smith e Os Filhos do Imperador - Claire Messud (eta livro chato!!!)

•Os(a) personagens do ano: tio Eddy, do livro Cafe da manha com Tiffany - Edwin John Wintle e Georgui Jachmenev do livro O Palacio de Inverno - John Boyne

•O(a) autor(a) revelação: Paolo Giordano - A Solidao dos Numeros Primos

•O melhor livro nacional: A Hora da Estrela - Clarice Lispector

•Os melhores livros que li em 2010: dessa vez tive que escolher tres:
As Horas - Michael Cunningham;
O Palacio de Inverno - John Boyne;
Como um Romance - Daniel Pennac

E se eu tivesse terminado de ler, colocaria Os Diarios de Sylvia Plath - Karen V. Kukil

Parece que deixei um monte de coisa boa de fora..rs..muito dificil escolher!