domingo, 25 de julho de 2010

Releitura - O Diário de Anne Frank


Não quero que minha vida tenha passado em vão, como a da maioria das pessoas. Quero ser útil ou trazer alegria a todas as pessoas, mesmo àquelas que jamais conheci. Quero continuar vivendo após a morte! (Anne Frank)

Sinopse


"12 de junho de 1942 – 1º de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial, ao se esconderem, juntamente com mais quatro pessoas, em um esconderijo conhecido como Anexo Secreto. Ao fim de longos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente foi para Auschwitz, e mais tarde para Bergen-Belsen. "
 
Quem não conhece a história de Anne Frank?? Se ainda não leu o diário, pelo menos ouviu falar dela. Muita gente diz que abandonou a leitura por achar triste demais, ou que não irá ler porque já sabe do fim triste que ela teve. Quem pensa assim perde uma ótima oportunidade de ler um livro lindo, emocionante; triste sim, mas cheio de esperança e, além disso, saber mais sobre o sofrimento dos judeus contado por alguém que estava vivenciando esse sofrimento.
 
Resolvi reler o Diário por vários motivos; primeiro porque a primeira vez que li, eu era muito nova e lembrava muito pouco da leitura. Segundo, porque comprei o livro Anne Frank- A História do Diário que Comoveu o Mundo, de Francine Prose e achei necessário reler o livro para melhor me situar na história. E, por último, porque percebi que a edição que havia lido anteriormente, era a censurada por Otto Frank, pai de Anne.
 
Anne Frank escreveu um diário entre 12 de junho de 1942 e 1º de agosto de 1944. A princípio, guardava-o para si mesma. Até que, certo dia de 1944, um membro do governo holandês no exílio, declarou no rádio que, após a guerra, esperava recolher testemunhos oculares  do sofrimento do povo holandês sob ocupação alemã, como cartas e diários, para colocar à disposição do público. Anne decidiu então, que publicaria um livro a partir de seu diário quando a guerra terminasse. Assim, começou a reescrever e organizar o diário, melhorando o texto, omitindo ou acrescentando passagens e, ao mesmo tempo, continuava a redigir seu diário original. A primeira versão, é  sem cortes e sem a correção de Anne é The Diary of Anne Frank: The Critical Edition; a segunda, é a alterada por ela.
 
Quando a guerra terminou, Otto Frank resolveu realizar o desejo da filha de publicar o diário. Ele selecionou material das duas versões, organizando-os em uma versão mais concisa; esta versão é conhecida por todos como O Diário de Anne Frank. Ele retirou passagens que tratavam da sexualidade de Anne; naquela época não era costume falar tão abertamente sobre sexo, muito menos em livros para jovens. Também retirou várias passagens pouco elogiosas sobre sua mulher e outros moradores do anexo.
 
Quando Otto morreu, uma versão nova e ampliada do Diário foi lançada pela Fundação Anne Frank. A escritora e tradutora Mirjam Pressler acrescentou trechos retirados das duas primeiras versões feitas por Anne à seleção original de Otto. Essa edição contém uns 30% a mais de material e foi essa que li agora. Consegui perceber as diferenças em relação a outra edição que havia lido quando adolescente; Anne fala abertamente sobre seu corpo e sobre sua sexualidade. Também descreve sobre o difícil relacionamento com sua mãe, confessando, em certo momento, ter desistido de tentar amá-la.
 
Quem ainda não leu, leia. É realmente muito bom conhecer mais sobre essa triste época pela voz de Anne.
 
 Depois de ler o livro, fiquei interessada em conhecer mais sobre a Fundação Anne Frank  criada por seu pai e lá encontrei um link bem interessante, o Anexo Secreto em 3D, onde podemos conhecer cada compartimento do esconderijo, como se estivéssemos lá dentro. Fiquei emocionada ao ver o quarto de Anne, com suas fotos de artistas de cinema na parede, seus livros...muito triste...

11 comentários:

  1. Já ouvi falar desse livro... Mas nunca li!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lia,

    Então, eu li metade do livro e estava amando, quando descobri que havia perdido um livro da biblioteca que custava 80,00. Rsrs! Devolvi Anne Frank, que também era de lá, porém nunca mais consegui retomar a leitura. Mas é um dos livros que desejo ler e voltarei do início com certeza.

    Bjjs.

    ResponderExcluir
  3. Sempre tive vontade de ler esse livro mas nunca tive a oportunidade. Assim que aparecer, com certeza lerei! =D

    Bjusss
    http://viciadospelaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Tenho vontade de ler esse livro. Gosto de diários e de livros que remetam à história, então acho que vou gostar desse.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Nossa gostei da resenha, nunca li nada sobre Anne Frank se bem que já ouvi falar muito dela, vou procurar ler um livro para ver se gosto.
    Obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  6. Olá, venho acompanhando seu blog há pouco mais de um mês e hoje resolvi deixar um comentário para dizer que gosto bastante do conteúdo dele. Como boa amante de livros que também sou, me identifiquei bastante. Parabéns!

    Rafaela Marinho
    (meusvariosmundos.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  7. Oi, Náh
    Leia, vale a pena.

    Oi, Dominique
    Empreste novamente e termine o livro...ou compre a edição de bolso, essa que eu li..é baratinho!

    Oi, Michele
    Eu gosto demais dessa história, imagino que será um livro que sempre irei reler.

    Oi, Cintia
    Acho que vai gostar sim..dá um panorama muito bom da segunda guerra.

    Oi, Martinha
    Procure, é uma história triste mas bonita tb...

    Oi, Rafaela
    Obrigada pelas visitas, pelo comentário e pelo elogio..bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Lia!
    é a primeira vez que vejo o seu Blog e tenho que te dizer que gostei muito! Eu também queria morar numa livraria!!! Se bem que meu quarto ja parece uma :)
    Lendo seu ultimo Post me lembrei que eu também li e reli O Diario de Anne Frank, comprei o livro de novo quando estive na sua casa em Amsterdam e a historia é sempre muito tocante...
    De seu mais novo seguidor... Ciao!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Rodrigo
    Obrigada pela visita..já fui retribuí-la no seu blog...imagino como deve ser emocionante visitar a casa dela...espero poder ir algum dia.

    ResponderExcluir
  10. Que linda frase: “Não quero que minha vida tenha passado em vão, como a da maioria das pessoas. Quero ser útil ou trazer alegria a todas as pessoas, mesmo àquelas que jamais conheci. Quero continuar vivendo após a morte!” (Anne Frank).

    Sinceramente, nunca tive curiosidade em ler ‘O Diário de Anne Frank’. Mas nossa conversa via e-mail e sua review (no blog) despertou o desejo de lê-lo. Vou procurar comprar (quando terminar de pagar os livros que comprei rsss) a versão estendia 8D do diário de Anne.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Luciana
    Muito linda mesmo a frase...que bom que nossas conversas despertaram sua curiosidade em relação à Anne Frank, fico feliz...tenho certeza que irá gostar muito. Bjs

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo