terça-feira, 1 de junho de 2010

Eu sou Alice - Melanie Benjamin


Sinopse:

Todos conhecem a pequena Alice que um dia caiu na toca de um coelho e entrou no mundo das maravilhas. Mas quem foi Alice Liddell, a menina que aos sete anos inspirou o Sr. Charles Dodgson a criar a história que depois assinou com o pseudônimo Lewis Carroll? Esta Alice de carne e osso está nesse livro. Misturando ficcção e realidade, Eu sou Alice reconstrói deliciosamente não apenas os bastidores da criação do livro Alice no país das maravilhas, mas a vida daquela menina travessa que no século XIX quase se casou com um príncipe de verdade. Sua biografia se mistura com o surgimento do clássico que encanta gerações até hoje. Por toda sua vida, ela carregou o peso de uma realidade que insiste em abafar a poesia.

Alice Liddell tinha sete anos quando posou para uma foto feita pelo Sr. Charles Dodgson. Trajando um simples vestido de babados e  com os pés descalços tocando pela primeira vez a grama da universidade de Oxford, a imaginosa e espevitada menina rolava no chão aos olhos silenciosos do fotógrafo. Alguma coisa naquela cena, porém, incomodava os bons costumes da época. Mas o que as mentes adultas poderiam considerar, mais que um atentado ao pudor, um ato de pedofilia, para a pequena Alice, era apenas o encontro com a mais pura poesia.



Melanie Benjamin, a autora do livro, se interessou pela história de Alice Liddell quando viu a foto acima em uma exposição em Chicago (Sonhando em Imagens: A Fotografia de Lewis Carroll). Achou  a coleção de retratos pertubadora, pois consistia de imagens de meninas em pose bastante provocantes. A fotografia de Alice deixou-a desconfortável pela vestimenta escassa, exibindo muito de seu corpo e olhos brilhantes, sagazes, conhecedores do mundo, quase desafiadores. Olhos de mulher.

Resolveu escrever sobre as aventuras de Alice depois que deixou o País das Maravilhas. Não é uma biografia, e sim um livro de ficção, baseado em fatos reais da vida de Alice. A sua infância foi em parte documentada, com exceção da correspondência trocada entre ela e Dodgson, que foi totalmente destruída pela mãe de Alice quando ocorreu o rompimento entre as famílias (ninguém sabe o motivo). Depois da morte de Dodgson, sua família cortou as páginas do seu diário que correspondiam a esse período. Nem Alice nem sua família jamais voltaram a falar publicamente a respeito de Dodgson, a não ser muito mais tarde, perto do final de sua vida, quando ela se viu forçada a vender o manuscrito original de Alice, para salvar a casa que amava.

Muito bom esse livro. Mesmo sabendo que é ficção, a história nos envolve de tal modo que acreditamos que foi assim que realmente ocorreu. Alice carrega a vida inteira o peso de ser "A" Alice dos País das Maravilhas. Seu relacionamento com Dodgson, a fez amadurecer mais rápido do que desejava. Passa a vida toda tentando esquecer que um dia foi a menina que inspirou a Alice do livro tão famoso.

Como havia dito no post sobre "Alice Edição Comentada", fiquei incomodada com alguns aspectos da biografia de Lewis Carroll. Hoje é célebre por ter criado uma história muito criativa, mas...ele fotografava crianças nuas! Um trecho da introdução do livro: "Os corpos nus das meninas lhe pareciam extremamente belos. Quando a oportunidade se apresentava, desenhava-as ou fotografava-as nuas, com permissão da mãe (grifo meu), é claro. Diz Dodgson: 'Se eu tivesse a criança mais linda do mundo para desenhar ou fotografar, e descobrisse nela um ligeiro acanhamento (por mais ligeiro e facilmente superável que fosse -grifo meu novamente) de ser retratada nua, eu sentia um dever solene para com Deus (!) abandonar por completo a solicitação'. Por temor de que essas imagens desnudas criassem embaraços para as meninas mais tarde, pediu que após sua morte fossem destruídas ou devolvidas às crianças ou a seus pais. Nenhuma parece ter sobrevivido."

Algumas fotos de crianças (vestidas, claro) feitas por Dodgson (não sei porque, mas estas fotos me assustam um pouco..rs):




Fotos tiradas por Charles Dodgson retiradas do site Princeton University Library .

E esta é a última foto que ele tirou de Alice, quando tinha 18 anos:



Pelo olhar triste dá para imaginar se um dia essa moça foi feliz..

Trecho do livro Eu sou Alice quando ela recebe essa foto:

"Que parte secreta minha teria ele capturado desta vez? A parte triste, perdida, de mim: a parte que pedia socorro."

26 comentários:

  1. Eu nem sabia que hsvia esse livro! E ainda mais sobre a pequena Alice, que maravilha !
    Bem interessante.

    bj, bj

    ResponderExcluir
  2. Oi, Alanna
    Bem interessante mesmo esse livro, eu adorei. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Nossa ele fez um livro bom, mas era tarado eu nem imaginava isso.

    Que horror né? E coitada da Alice, para mim ela deve ter cido violentada por ele para ter uma cara assim.

    bjs, adorei d+ o post.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Luana
    Devia ser doente, ou coisa parecida, né? Um horror mesmo...bjs

    ResponderExcluir
  5. Estou com esse livro já pra ler, parece muito bom, e esse cara perturbado que horror né? essas fotos dão uma má impressão.

    Adorei a resenha!
    Bjus

    ResponderExcluir
  6. Oi, Claudia
    Obrigada pelo elogio...fiquei impressionada com essas fotos, parece de filme de terror..rs...e o livro é muito bom sim. Bjs

    ResponderExcluir
  7. Nossa!!! Lia!! Esse livro deve ser muito bom!!! Já vou colocar na lista! Na verdade já tinha pego ele na mão mas desisti de comprar....Vou voltar atrás!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cynthia
    É bom sim, eu gostei muito. Bjs

    ResponderExcluir
  9. As fotos parecem de crianças mortas.. ou aquela bonecas articuladas assassinas u.u

    ResponderExcluir
  10. Deve ser muito, muito legal! A ideia é ótima! A foto que inspirou o livro é mesmo lindíssima!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Martina
    É bem bonita mesmo a foto..e o livro é ótimo!

    ResponderExcluir
  12. Nossa, bizarro esse negócio das fotos, eu não sabia! :O

    Fiquei ainda mais curiosa com o livro, rs..

    Bjoos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Fernanda
    Super esquisito mesmo..dá até um arrepio..rs..

    ResponderExcluir
  14. Comprei esse livro na Bienal, em maio, mas ainda vai demorar alguns meses pra que eu tenha tempo de ler.
    Também acho as fotos meio assustadoras. Não sei bem o que esperar desse livro, mas estou curiosa com ele.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi, Cintia
    Eu gostei bastante deste livro, por ser meio de ficção misturado com fatos reais..ficou uma boa mistura..leia para ver se vai gostar tb..bjs

    ResponderExcluir
  16. Muito boa a resenha. Fiquei com vontade de ler. Sabia desses "boatos" de Carroll ser pedófilo, mas nunca pensei que ele chegasse a falar nisso abertamente. Não que ele realmente seja, prefiro acreditar que não. Talvez ele visse mesmo as fotos dele como arte, e quando se trata disso, há uma tênue linha que a separa da depravação. Mas algo realmente perturbador deve ter acontecido para que a família de Alice tivesse rompido a comunicação com ele e tentado apagar seus vestígios da vida da menina.

    Sobre as fotos acima, são realmente assustadoras. Mas na verdade toda foto antiga tem um que de assustador. huhuhu

    ResponderExcluir
  17. Oi, Izze
    Pelo que li sobre a vida dele na introdução do livro "Alice - Edição Comentada", esse interesse por crianças era mais do que artístico. Muitos estudiosos dizem que ele nunca chegou a realizar suas fantasias, mas não deixa de ser algo doentio. Bjs

    ResponderExcluir
  18. Todo autor é passível de falhas, crimes e delitos.
    Parece que com ele não foi diferente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oi, Marcello
    Vc tem razão...é que fiquei muito horrorizada com sua biografia, talvez por eu ser mãe e de uma menina...

    ResponderExcluir
  20. Bem, eu só li Alice no país das maravilhas recentemente e devo admitir que li por causa do filme do Tim Burton. Fiquei encantada com toda a lógica, a relação de tempo/espaço e filosofia que está contida no livro, fiquei deslumbrada por Carrol, pensei comigo mesma, que escritor inteligente e intrigante! Questionei-me: quem é esse cara?! E logo em seguida, procurei saber sobre sua vida e obra, não me surpreendeu o fato dele ser matemático e logo tudo fez sentido pra mim. Em primeiro momento, achei que Alice nunca havia existido, a não ser na imaginação do autor do livro em questão, foi quando me deparei com a informação de sua existência, tinha uma foto e aí fui pegando uma informação aqui, outra ali e sobrevim nesse blog... De fato, devo concordar que os olhos da criança retratada, são sagazes como os olhos de uma mulher, porém o restante das fotos, (exceto o da Alice adulta, que tem um olhar perturbador) não me assusta, são fotos em preto e branco, as vestimentas são antigas que me remetem, também, a episódios antigos, ou algum filme de terror, pois constantemente utilizam-se desse tipo de foto/imagem para esse formato de filme e mais nada. Em relação à especulação de que ele foi ou não pedófilo é pertinente, mas que fique claro que não vou aqui de forma vil acusá-lo, nem tampouco defendê-lo, pois não fiz nenhuma pesquisa legitima e aprofundada sobre sua vida. No mais, mesmo que seja ficção, só me deixou curiosa em ler algo sobre essa menina de olhar sagaz, que por vez transformou-se em uma mulher dona desse olhar perdido e que tanto fascinou Carrol.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Michelle
    Obrigada pela visita e pelo ótimo comentário. Lewis Carroll era muito inteligente e muito polêmico tb. Se quiser conhecer mais sobre ele e sua obra recomendo a leitura do livro Alice Edição Comentada; já falei sobre ele aqui no blog tb. Bjs e volte sempre!

    ResponderExcluir
  22. Todas as meninas retratadas parecem ter a mesma espressão de tristeza!

    ResponderExcluir
  23. No livro, tem as imagens das meninas? Somente de Alice? ou não tem imagem nenhuma? . . .

    ResponderExcluir
  24. Nao lembro direito..acho que tem so da Alice mesmo..

    ResponderExcluir
  25. Nossa, serrá minha próxima aquisição!!!Apaixonei com o enredo... O.O

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo