terça-feira, 11 de maio de 2010

Uma Real Leitora - Alan Bennett



Sinopse


Se os cachorros não tivessem latido para o furgão estacionado nas dependências reais, a rainha nunca tomaria conhecimento da biblioteca itinerante da cidade de Westminster. Mas, vendo-se diante do veículo, ela educadamente se desculpa pelo barulho e pega emprestado um romance de Ivy Compton-Burnett, retirado pela última vez em 1989. Apesar da leitura "pesada", a boa educação exige que a rainha leia o volume até a última página. A fim de não parecer rude, Sua Alteza volta para retirar outro livro, descobrindo uma paixão tão grande pela leitura que os deveres públicos começam a ser afetados. Então, à medida que devora obras de vários escritores - de Thomas Hardy e Charles Dickens a Marcel Proust e Samuel Beckett - , seus camaristas conspiram para pôr um fim à odisséia literária da rainha. Os assessores reais se assustam ao perceber que a soberana guarda um ar distraído durante as solenidades oficiais, inserindo referências literárias em contextos não muito apropriados: no discurso de Natal, ela cita recomendações bibliográficas; em um banquete oferecido ao presidente da França, ela faz um elegante meneio com a cabeça, perguntando ao colega a respeito do escritor Jean Genet.
 
Domingo, almoço do Dia das Mães no shopping e ao lado do restaurante, uma livraria Nobel. Eu não iria resistir, não é?? Pois entrei e logo dei de cara com uma banca de livros em promoção - de R$ 9,90 a R$ 12,90. Comecei a revirar os livros...não tinha muito livro que eu conhecia, mas logo me interessei por esse - Uma real leitora. Adoro livros que falam sobre a paixão por leitura e esse parecia ser especial, pois narrava uma fictícia história onde a rainha da Inglaterra, Elizabeth II,  descobria o mundo dos livros e se apaixonava ao ponto de não ter mais interesse por seus compromissos reais, querendo apenas ficar com seus amados livros.
 
Com a ajuda de Norman, um auxiliar de cozinha inteiramente devotado aos livros, a rainha começa a ler , primeiramente livros de autores que de algum modo, haviam passado por sua vida. A partir de um ponto da trajetória, Elizabeth é obrigada a cuidar ela mesma de suas escolhas. Todo aquele mundo lhe parecia antes desconhecido, distante, quem sabe hostil. E agora, estava ali, ao alcance de uma cadeira e de um lápis, pois gostava de ler fazendo anotações.
 
A leitura foi deixando a rainha mais atenta ao mundo e à vida dos outros, e um tanto mais desleixada consigo mesma. Havia tristeza também em sua leitura pois pela primeira vez ela sentia que perdia alguma coisa. Essa sensação de tempo perdido a fazia ler com grande rapidez.
 
Com o passar do tempo conforme aumenta o interesse da rainha pela leitura, seus secretários e o primeiro ministro tentam afastá-la dessa paixão. Chega uma hora que ela sente que não queria ser simplesmente uma leitora. ("Ler não era agir, o problema sempre fora esse."). Resolve então, começar a escrever. ("Um leitor era vizinho de ser espectador, enquanto escrevia ela estava agindo, e agir era seu dever."). Daí é que realmente tudo piora e o final é surpreendente.
 
Algumas frases do livro que gostei:
 
"O que ela estava descobrindo também era como um livro levava a outro, portas sempre se abrindo para onde quer que se voltasse e os dias nunca eram longos o bastante para a leitura que queria fazer."
 
"Livros não são passatempo. São sobre outras vidas. Outros mundos."
 
"Havia algo altivo na literatura. Livros não se importavam com quem os estava lendo ou se os liam ou não. Todos os leitores eram iguais, ela inclusive."
 
"Penso na literatura como um vasto país para cujas distantes fronteiras estou viajando, mas que não é possível alcançar. E comecei tarde demais. Nunca vou recuperar o tempo perdido."
 
"Você não põe sua vida nos seus livros. Você a encontra neles."
 
É um livro bem curtinho mas delicioso de ler. Recomendadíssimo!
 
Sobre o autor: Alan Bennet tornou-se um dos mais respeitados dramaturgos britânicos com Beyond the Fringe, nos anos 60. Adaptou para o cinema a obra As Loucuras do Rei George, que foi indicada ao Oscar.

8 comentários:

  1. Oi!
    Não conhecia o livro, achei a história interessante.
    Eu tbm não resisto a promoções.
    BJs

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha ouvido falar.. parece ser interessante, mesmo! Gostei das frases que vc destacou.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Parece que vc fez uma boa compra..rsrsrs...Deu vontade de ler!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Lia, o projeto Desafio Nacional é para todos os blogs literários, então você não só pode como deve participar! Traga o banner do desafio para seu blog e dê sua opinião sobre o assunto!
    Se tiver Twitter divulgue seu post lá tbm! Grande beijo!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Hérida
    Promoção é tudo de bom, né? Ainda mais qdo achamos alguma surpresa boa, como essa. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi, Fernanda
    É bem legal mesmo, foi uma boa compra.Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cynthia
    Qdo puder leia, é uma leitura bem leve e gostosa.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Leninha
    Vou divulgar sim, bjs

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo