sexta-feira, 14 de maio de 2010

O livro que José Mindlin não leu


Li esse texto na Revista Seleções deste mês; adorei e resolvi reproduzi-lo aqui:

"No momento em que tantos estão a escrever tantas generalidades sobre o realmente admirável José Mindlin, eu gostaria de relatar uma historinha a respeito de um livro, um dos mais raros que já passaram pela mesa do meu amigo Stefan Geyerhahn - um dos donos da Livraria Kosmos, 'sebo' que ajudou a civilizar o Brasil.

Estava eu em conversa com o Stefan quando lhe anunciaram que um estrangeiro tinha vindo oferecer uma obra que parecia 'interessante'. "É a obra de um viajante no Brasil de meados dos anos 1600. Uma edição sueca, raríssima. É um livro que tem exatamente o perfil dos que interessam ao José Mindlin. Vou telefonar para ele", disse. Stefan liga para o bibliófilo. É imediatamente atendido. E explica do que se trata.

Ouvindo o telefonema, percebo que Mindlin se surpreendeu, do outro lado do fio, com a aparição de tal obra em oferta no mercado, e, mais ainda, com o preço que ele, Mindlin, considerou 'muito barato'. Bem, o bibliófilo José Mindlin NÃO adquiriu o livro. Não porque o livro não o interessasse. Nem porque não tivesse o dinheiro (piada!). Ou porque o livro estivesse em péssimas condições etc. (porque Mindlin mandaria restaurá-lo de imediato, sem medir despesas).

Resposta do enigma: José Mindlin não comprou a raríssima obra porque ele 'jamais adquiria um livro que não pudesse ler'. E ele 'não lia em sueco - infelizmente'. De onde se conclui que todos, literalmente TODOS os livros da vastíssima biblioteca do bibliófilo - por ele doada à USP -, haviam sido LIDOS por Mindlin, um a um, nas muitas línguas que ele conhecia. E o sueco não estava entre elas ('infelizmente')." Fernando Monteiro - escritor

Que coisa mais maravilhosa! Imagine possuir tantos livros como ele possuía e ter lidos todos! Aproveito para divulgar o endereço virtual da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin: http://www.brasiliana.usp.br/.

"A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin é um órgão da Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo. Foi criada para abrigar e integrar a brasiliana reunida ao longo de oitenta anos pelo bibliófilo José Mindlin e doada, por ele, sua esposa Guita e seus filhos, à USP.

Com o seu expressivo conjunto de livros e manuscritos, a Biblioteca Mindlin é considerada a mais importante coleção do gênero formada por um particular. São cerca de 17.000 títulos, ou 40.000 volumes: obras de literatura brasileira (e portuguesa), relatos de viajantes, manuscritos históricos e literários (originais e provas tipográficas), periódicos, livros científicos e didáticos, iconografia (estampas e álbuns ilustrados) e livros de artistas (gravuras).

Os livros estarão disponíveis para consulta assim que o novo edifício estiver concluído. Por enquanto, alguns títulos e documentos podem ser vistos na  Brasiliana Digital ." (retirada do site)

11 comentários:

  1. Belíssimo o comportamento de José Mindlin. Por ser uma grande bibliófilo não se envaideceu. Foi humilde em não comprar a obra, já que não lia sueco e nos dar uma grande lição: de nada serve um livro se lido e não compreendido.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lia, seu blog é um bálsamo na mediocridade vigente no mundo da blogosfera... ando cansada, exaurida mesmo...às vezes me sinto atirando pérolas aos porcos...sem querer me metidar...mas tenho visto cada coisa! Claro que há ótimos blogs, mas em sua maioria, se espremer não sai nada, nadinha...e eu, como gosto de ouvir opiniões inteligentes, mesmo que se oponham às minhas, ando falando sozinha, muitas e muitas vezes...acho que tenho que voltar a pensar que estou escrevendo só pra mim e ponto final...doa a quem doer...a gente vai ficando cheia de regrinhas, de melindres: ai posso magoar fulano, ou sicrano...ai maigodi...que saco...eu mesma estou me censurando...e isso é péssimo...desculpe meu desabafo, mas isso aqui pra mim é realmente um oásis no meio dessa selva...pena que tenho vindo pouco aqui e gosto tanto...o Mindlin era realmente fantástico...um único exemplar da espécie...e infelizmente, extinto...
    beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ronaldo
    Muito boa sua observação..não adianta nada mesmo um monte de livros na estante só de enfeite...

    ResponderExcluir
  4. Glorinha...
    Vc salvou minha semana..rs..obrigada pelo comentário maravilhoso! Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Lia, vi essa matéria na revista Seleções também. Muito boa.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Cecilia
    Um exemplo de vida, né?

    ResponderExcluir
  7. Ai Lia, tô meio deprimida ultimamente, não consigo engatar nenhum dos meus livros que estão na cabeceira e meu skoob não sai do lugar!! ô lasqueira!! Aí o que me resta, senão vir aqui chorar as xurumelas do livro não lido!! hahahah!! Adorei a história do Seu José!! Bjinho e bom findi!!

    ResponderExcluir
  8. Lia

    Um exemplo de homem, de amante dos livros, um verdadeiro livreiro.
    Espero que ele nunca seja esquecido,não só pela doação à Usp, mas pela vida inteira dedicada aos livros em um país de analfabetos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Uau! Eu ficava me perguntando se ele realmente tinha lido tudo. Que bom seria se todos tivessem um pouquinho que fosse desse amor pelos livros, não é?

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. amei o blog, certamente encontrei aqui um bom motivo prá ficar sentada diante da tela!

    abraços!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Cris
    Não esquenta não..rs..às vezes as leituras emperram mesmo; dê um descanso e depois volte com força total..bjs

    Oi, Marcello
    Um exemplo mesmo...pena que homens assim sejam tão raros...

    É, Cintia
    Seria uma maravilha...

    Oi, Angela
    Obrigada pelos elogios, volte sempre!

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo