domingo, 16 de maio de 2010

Lançamento: Anne Frank - A História do Diário que Comoveu o Mundo


Morta aos 15 anos, em 1945, no campo de concentração de Bergen-Belsen, Anne Frank deixou um famoso diário sobre os dois anos que viveu trancada no anexo de um escritório em Amsterdã, escondendo-se, na companhia de outros sete judeus, dos nazistas que então ocupavam a Holanda.

O diário que ela escreveu continua encantando gerações de leitores e consagrou-se como um dos mais pungentes testemunhos da perseguição nazista, um depoimento luminoso sobre uma adolescência vivida em condições amargas. Mas será que o texto foi a manifestação espontânea de uma adolescente vivendo uma situação especial?

A crítica e ensaísta Francine Prose defende que não: o diário é uma obra de arte, um texto literário pensado e planejado. Os originais comprovam que Anne escreveu pensando em seus futuros leitores, reescrevendo e editando inúmeras passagens. Ela se via como uma escritora – e era de fato talentosa, como se vê por sua habilidosa construção de diálogos e personagens, seu olho para os detalhes, seu domínio do ritmo da narrativa. Além de fazer uma análise literária da obra, Prose conta a trajetória de Anne e sua família, chamando a atenção para detalhes em geral ignorados. E reflete sobre as discussões e produtos gerados a partir do livro: o Museu Anne Frank, a peça de teatro e o filme realizados a partir do Diário, as teorias que negam a autenticidade da obra, além da adoção do livro em escolas e o uso feito por professores em sala de aula. Preciso e emocionante, essa obra de Prose nos reaproxima de um clássico que certamente tem lugar especial na memória de muitos leitores.

Quero muito ler esse livro; o Diário de Anne Frank é um dos meus livros preferidos. Outro livro que se inspirou no mesmo tema é "O Menino que Amava Anne Frank", de Ellen Feldman, só que não é história real e sim, ficção. Tive a sorte de comprá-lo na Livraria Nobel por R$ 12,90.


Sinopse: O que teria acontecido a Peter van Pels, companheiro de esconderijo de Anne Frank, caso ele tivesse sobrevivido? Em 16 de fevereiro de 1944, Anne registrou em seu diário que Peter prometera começar uma nova vida mudando-se para os Estados Unidos. Em "O Menino que Amava Anne Frank", Peter consegue desembarcar nos Estados Unidos, terra da liberdade para milhões de refugiados judeus. Bem-sucedido nos negócios, casa-se com uma americana e tenta levar uma vida absolutamente normal. Ao longo da década de 1950, quando os EUA experimentam o período de esplendor econômico, Peter começa a prosperar, tecendo planos para um futuro sem sombras do passado. No entanto, as recordações da infância começam a atormentá-lo com a publicação de O diário de Anne Frank, aclamado no mundo todo. Trata-se, Peter percebe, de uma história que também é dele. E uma vez que as lembranças vêm a tona, sua vida, como uma espiral, foge totalmente de controle.



13 comentários:

  1. Comprei o Diario de Anne Frank. Estou ansiosa para inicià-lo.

    ResponderExcluir
  2. Eu li a um tempo atrás esse livro, sem dúvida é muito encantador :)
    bj, flor.

    ResponderExcluir
  3. Esse livro da Anne é muito triste?Eu tenho a impressão que é. Me responde??

    bjs

    ResponderExcluir
  4. estou lendo o diário de Anne Frank,é muito bom,vc ve como o nazismo acabou com o amor.Além desse,li a mala de hanna,que tbm fala sobre a 2ºguerra,e temos uma pequena idéia de como foi esse inferno na terra,foi terrivel,eles acabaram com milhões de familias felizes,isso que mais doi.
    Vale muito a pena ler,é um memorial para a humanidade.
    Um super bjuuu a todos,fiquem com Deus!*-*

    ResponderExcluir
  5. Ei Lia,

    Adorei o post de hoje. Eu amo este livro, é lindo, triste e comovente. A história é marcante e faz a gente parar para pensar em tantas coisas...

    bjo

    ResponderExcluir
  6. Oi, Erica
    Tenho certeza de que vai gostar muito.

    Oi, Alanna
    Eu tb li faz bastante tempo; estou querendo relê-lo. Bjs

    Oi, Luana
    É triste sim; não tem como um livro sobre o holocausto ser feliz, mas a história é muito bonita e Anne Frank a narra com muita delicadeza. Vale a pena a leitura.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ana
    É verdade, apesar do horror, devemos conhecer como tudo se passou e não esquecer.

    Oi, Nanda
    Gosto muito do jeito que ela conta sua história; é um livro muito cheio de esperança.

    ResponderExcluir
  8. Eu vi esse novo lançamento porém acho que ainda vou demorar para ler... estou tentando ler o diário em si faz tempo, porém o preço não ajuda. Acho que é melhor ler o diário primeiro depois a crítica rs

    ResponderExcluir
  9. É, Carol
    Para entender bem o livro acho que é melhor ler o diário primeiro. Depois leia um livro escrito por Miep Gies, que ajudou a esconder Anne - O outro lado do diário. É muito bom tb

    ResponderExcluir
  10. Esse 'o menino que amava anne frank' está na minha lista faz tempo.. ainda pretendo ler :)

    ResponderExcluir
  11. Oi, Fernanda
    Eu o conheci há pouco tempo e tive sorte de comprá-lo por um ótimo preço!

    ResponderExcluir
  12. Eu não aguentei terminar esse livro. Apesar de ser uma história tocante, o sofrimento repetido e interminável me fizeram abandoná-lo antes do fim.

    ResponderExcluir
  13. Oi, ascka
    Que pena que não terminou...apesar de ser triste, é uma linda história; eu estou relendo-o no momento..

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo