terça-feira, 30 de março de 2010

Desafio Literário - Março: Razão e Sensibilidade (Livro reserva)

Tema: Clássicos da Literatura
Mês: Março - Livro Reserva
Livro escolhido: Razão e Sensibilidade (Sense and Sensibility)
Autora: Jane Austen
Editora: Nova Cultural
Número de páginas: 366

Sinopse: "A história relata os relacionamentos de Elinor e Marianne Dashwood, duas filhas do segundo casamento de Mr. Dashwood. Elas têm uma jovem irmã, Margaret, e um meio-irmão mais velho, John. Quando seu pai morre, a propriedade da família passa para John, o único filho homem, e as mulheres Dashwood se vêem em circunstâncias adversas. O romance relata a mudança das irmãs Dashwood para uma nova casa, mais simples e distante, e seus relacionamentos. O contraste entre as irmãs, mostrando Elinor mais racional e Mariane mais emotiva e passional, é resolvido quando cada uma encontra, à sua maneira, a felicidade."





O livro é sobre: Apesar de ser um retrato da sociedade inglesa da época, com casamentos de interesses e pelos dotes, acho que é mais sobre a procura do amor, focando em duas irmãs com temperamentos completamente diferentes. Ao longo da história, Elinor e Marianne buscam o equilíbrio entre a razão (ou pura lógica) e a sensibilidade (ou pura emoção) na vida e no amor.

 



Eu escolhi este livro porque: Li "Orgulho e Preconceito" e gostei muito; resolvi então ler os outros livros da autora e este é o único que eu tinha em casa.

A leitura foi: um pouco demorada demais. Não é um livro que dê para ler de uma vez; tem muitas descrições, precisa prestar mais atenção.

Curiosidades: Austen escreve o primeiro esboço de Elinor and Marianne (depois intitulado Sense and Sensibility) em 1795, aos 19 anos. Enquanto ela escrevera, na adolescência, um grande número de ficções curtas, Elinor and Marianne foi seu primeiro romance longo. O roteiro gira em torno do contraste entre o senso de razão de Elinor, e o emocionalismo de Marianne; as duas irmãs podem ter sido inspiradas no relacionamento de Jane com sua irmã mais velha, Cassandra, de forma que Cassandra seria a dotada de razão e ela mesma, Jane, a emocional. Austen pode ter reinvindicado para si mesma o senso de racionalidade, ou simplesmente pode ter tentado fazer uma paródia sobre o romantismo exagerado e a sensibilidade que eram próprios aos anos 1790. O tratamento que Austen dá às duas irmãs é complexo e multi-facetado.


Sobre a autora: Nascida em Steventon, Hampshire, de uma família pertencente à burguesia agrária, sua situação e ambiente serviram de contexto para todas as suas obras, cujo tema gira em torno do casamento da protagonista. Entre 1795 e 1799 começou a redigir as primeiras versões dos romances que se publicariam sob os nomes Sense and Sensibility, Pride and Prejudice e Northanger Abbey (que antes se intitulavam Elinor and Marianne, First Impressions, e Susan, respectivamente). Provavelmente, também escreveu Lady Susan nesta época. Sense and Sensibility,  foi aceita por um editor em 1810 ou 1811, apesar de a autora assunir os riscos da publicação. Foi publicado de forma anônima, en outubro, como pseudônimo: "By a Lady".

Página de título da edição original, 1811

Animada pelo êxito de Sense and Sensibility, a autora tentou publicar também Pride anda Prejudice, que foi vendido em novembro de 1812 e publicado em janeiro de 1813. Ao mesmo tempo, começou a trabalhar em Mansfield Park. Em 1813, a identidade da autora de Pride and Prejudice começou a difundir-se, graças à poupularidade da obra e à indicrição da família. Nesse mesmo ano foi publicada a 2ª edição de suas obras, e em maio de 1814 surgiu Mansfield Park, obra da qual se venderam todos os exemplares em seis meses, e Austen começou a trabalhar em Emma.

Austen começou Persuasion em agosto de 1815, mas um ano depois começou a se sentir mal. No início de 1817 começou Sanditon, porém teve que abandonar a obra por seu estado de saúde. Para receber tratamento médico foi levada a Winchester, onde faleceu em 18 de julho de 1817. Suas últimas palavras foram: "Não quero nada mais que a morte". Tinha 41 anos.



"My idea of good company is the company of clever, well-informed people who have a great deal of conversation; that is what I call good company."— Jane Austen

O livro foi adaptado várias vezes para a TV e cinema. Assisti a versão para o cinema de 1995, com Emma Tompson como Elinor, Kate Winslet como Marianne e Hugh Grant como Edward Ferrars. Achei bem parecido com o livro, apesar do filme ser bem mais resumido. Adorei ver Hugh Grant bem novinho e o rabugento Sr. Palmer de Hugh Laurie é um Dr. House inglês e bem mais jovem. Agora quero assistir a minissérie feita pela BBC em 2008.

Trailler do filme de 1995:


Fonte da pesquisa: Wikipedia

10 comentários:

  1. Ola,
    Estou numa fase Jane Austen: tentando recuperar o tempo perdido por não tê-la lido mais antes.
    Adorei a resenha!
    Obrigada,

    ResponderExcluir
  2. Ótima resenha, Lia!

    Esse foi o meu livro de janeiro e gostei muito dele, apesar de preferir Orgulho e Preconceito. :-) Mas você tem razão, as personagens das irmãs são bem construídas, ambas têm personalidades complexas, como aliás todos nós.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Muitos Jane Austen este mês, eu tenho que ler mais livros dela.

    ResponderExcluir
  4. Lia
    Este para mim e' o melhor livro!!! Boa escolha!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  5. Puxa Lia, sou suspeita a comentar Jane Austen, adorei este e Orgulho e Preconceito também, os outros são mais difíceis de achar, acho que é o tipo de livro para ser lido várias vezes e sempre nos aguardará uma surpresa desatenta...bjinho!

    ResponderExcluir
  6. Esse era a minha primeira opção para o mês de março, mas acabei optando por ler o reserva "Sonho de uma noite de verão" para ler Jane Austen com mais calma posteriormente.
    Adorei a resenha Lia, parabéns!
    Bjs! ;)

    ResponderExcluir
  7. Saudades de quando o li. Uma história belíssima. Obrigada pela contribuição, lia!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Esse livro tem estado na minha lista ha muito tempo, mas preciso comprar, pq ler em ebook é muito complicado!!!
    ADorei a resenha, ficou perfeita e completa!!!

    ResponderExcluir
  9. Este livro foi uma das opções que considerei para o desefio literário, mas mudei de idéia nos últimos dias do ano, depois de assistir ao filme. Achei tão arrastado! E o Hugh Grant, pra mim, combina mesmo é com comédia romântica e tinha uma cara de bobo pra interpretar o Edward. Bom... Não gostei, rsrs. Ainda quero ler o livro, mas não por agora. Provavelmente será o último de Jane que lerei (considerando que até agora só li Persuasão e me apaixonei pela obra).

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Bem eu li o livro e adoreiii, pra mim o melhor de todos ainda é persuasão..rsrs....Bela resenha parabéns...beijokas elis!!!

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo