sexta-feira, 12 de março de 2010

Brincadeira Literária - Blog Ler, Comer, Dormir


Esta é uma brincadeira muito legal proposta pela Náh, do blog Ler, Dormir, Comer . A brincadeira consiste no seguinte: uma espécie de blogagem coletiva, onde vamos descrever e contar o primeiro livro que lemos, o mais antigo da estante ou o mais marcante.

O primeiro livro que li:
Só sei que era uma historinha sobre uma nuvenzinha...não sei o nome e nem lembro direito a história.

O mais antigo da minha estante:

Na verdade não tenho muitos livros velhos aqui. Os livros que li primeiro estavam na casa de meus pais. Achei um aqui meio velhinho, mas acho que não era meu; era da minha mãe ou do meu irmão e acabei pegando para mim. É esse:
A Insustentável Leveza do Ser - Milan Kundera. O ano é 1984, mas acho que li em 1986, mais ou menos.
Sinopse: Romance de amor e erotismo de um escritor condenado ao silêncio em seu próprio país. O absurdo da existência humana na experiência de vida de quatro personagens, que têm seus atos observados e comentados pelo autor. A história acontece em Praga e em Zurique, em 1968, e atravessa algumas décadas. Narra os amores e os desamores de quatro pessoas: Tomás, Teresa, Sabina e Franz. É permeada pela invasão russa à Tchecoslováquia e pelo clima de tensão política que pairava na Praga daqueles dias.

Tomas é um homem jovem, bonito e atraente, do tipo que não encontra dificuldade para aventurar-se amorosamente. Sendo um médico renomado, possui um conforto financeiro que lhe permite dedicar seu tempo para a simples fruição da própria vida. É o que faz com Sabina, por exemplo, estabelecendo com ela uma relação amorosa absolutamente informal, ainda que dotada de uma certa segurança. Encontram-se ocasionalmente para fazer amor, continuando com suas rotinas cotidianas logo em seguida.


Tomas conduz sua vida dessa maneira até conhecer Teresa. Tomas, depois de deixá-la entrar pela primeira vez em sua vida, nunca mais consegue livrar-se do "bebe encontrado em um cesto à beira de um rio", como ele costuma referir-se metaforicamente a ela. Muito provavelmente Tomas não desejou fazê-lo. De qualquer maneira, a entrada de Teresa na vida de Tomas representou, de fato, o fim do estilo de vida livre que Tomas possuia até então.

Trabalhando num bar cheio de bêbados e homens de mau caráter, Teresa surpreendeu-se ao ver Tomas em uma das mesas, com um livro aberto. O livro, naquele instante, os irmanava de uma maneira sublime, pois era um sinal de refinamento e espírito em meio ao lodo no qual ela vivia.

Depois de conhecê-lo, não tardou a procurá-lo em Praga, uma vez que sua própria vida não possuía nenhum sentido genuíno. Quando encontra Tomas, literal e metaforicamente deposita a responsabilidade por sua vida e por sua felicidade nas mãos de Tomas. Para tanto, lida mesmo com as infidelidades de Tomas de maneira quase estóica.

Sabina é uma espécie de versão feminina de Tomas, com todas as singularidades que diferenciam um médico de uma artista.
(Fonte da Pesquisa: Wikipédia)

Não posso comentar muito sobre o livro porque faz muito tempo que o li. Preciso relê-lo, pois é um livro muito profundo e acho que era muito nova na primeira vez que li. Mas é um livro lindíssimo, apesar de triste. O filme, de 1988, com Daniel Day-Lewis e Juliette Binoche também é muito bom.

O mais marcante:

Vou falar do livro mais marcante de quando comecei a ler de verdade, que é "Reinações de Narizinho", de Monteiro Lobato.

Essa é a edição nova


Essa foi a que eu li


O primeiro livro de Monteiro Lobato, a locomotiva do comboio, o puxa-fila. A história começa. Aparecem Narizinho, Pedrinho, Emília, o Visconde, Rabicó, Quindim, tia Nastácia, o Burro Falante... O milagre de estilo de Monteiro Lobato vai tramando uma série infinita de cenas e aventuras em que a realidade e a fantasia, tratadas pela poderosa imaginação, se misturam de um modo pessoal e inconfundível.

Minha mãe tem essa coleção até hoje; são 17 volumes e logo que comecei a ler, não parei mais...Para mim, ler Monteiro Lobato foi penetrar em um mundo mágico e maravilhoso. Que criança não gostaria de ser a meiga Lúcia, a menina do nariz arrebitado, ou o valente e corajoso Pedrinho? Ou ter uma avó doce e bondosa como Dona Benta  e uma tia como Tia Anastácia com seus quitutes deliciosos...e passar um tempo em um sítio onde coisas surpreendentes ocorrem, como uma boneca ganhar vida, animais que falam e aventuras de montão...esses livros foram a porta de entrada para o mundo da leitura e despertou em mim a vontade cada vez maior de ler.
 
Quando criei o meu blog, meu primeiro post foi sobre isso, a descoberta do prazer da leitura. Quem quiser ler, é só clicar aqui .

3 comentários:

  1. Legal! Minha mãe tinha o "A insustentável ..." no nosso escritório também, mas nunca li. Só conheço o filme.

    E Monteiro Lobato com certeza fez parte de minha infância de maneira marcante! Adorei seu post!

    ResponderExcluir
  2. Estou amando ler seu blog.
    DEixo dois selinhos pra vc.
    Em: rocknofone.blogspot.com
    Seguindoo!

    ResponderExcluir
  3. Ahhh, essa brincadeira é bem legal. Uma pena que não deu pra eu me inscrever. Eu lembro vagamente do primeiro livro que li...

    Bjjjs.

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo