sábado, 19 de dezembro de 2009

Minha mensagem de fim de ano

Vou viajar amanhã e só volto dia 04/01. Acho que não poderei postar nesse período, mas quem quiser pode deixar comentários, responderei tudo na volta.
Gostaria de agradecer a todos que acompanham e prestigiam o blog, deixando comentários, ou apenas lendo. Muito obrigada mesmo, estou adorando conhecer pessoas muito legais.
E como mensagem de final de ano, deixo um vídeo que amo:






Só precisamos disso para fazer um mundo melhor: amor.
Até a volta

Meu presente do amigo secreto também chegou!



Ontem foi um dia de receber muita coisa boa...chegaram meus Corrupios, minha biografia da Clarice Lispector e o meu presente do amigo secreto do Desafio Literário.

Obrigada, Thalita, amei o livro, não vejo a hora de começar a leitura.

Meus Currupios chegaram!





Que delícia abrir um pacotinho tão caprichado e tão cheio de coisas fofas!!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Mais Clarice

Quem sempre lê meus posts já percebeu que adoro Clarice Lispector. Pois bem, nem acabei de comprar a biografia de Clarice, vejo outro livro que faz meus olhos brilharem:



Clarice na Cabeceira

 Sinopse:

Lidos e relidos, os contos de Clarice Lispector mantêm-se muito próximos de seus leitores, seres apaixonados e extasiados com os escritos da que ultrapassou fronteiras, conquistou todos os continentes, sendo eternizada até nos idiomas mais incomuns. Clarice na cabeceira, organizado pela doutora em Letras Teresa Montero, é uma bem escolhida amostra de instantes de beleza retirados das obras de Clarice Lispector e apontados por 22 integrantes da legião de fãs da escritora. E não se trata de quaisquer fãs. Luis Fernando Verissimo, Fernanda Torres, Fernanda Takai, Affonso Romano de Sant’Anna, Rubem Fonseca, José Castello, Maria Bethânia e Luiz Fernando Carvalho são algumas das personalidades que compõem o time estelar de colaboradores do livro.

A seleção afetiva realizada por esses escritores, atrizes, cineastas, cantoras, jornalistas e críticos literários reúne textos de cada um dos livros de contos de Clarice: Laços de família (1960), A legião estrangeira (1964), Felicidade clandestina (1971), A via crucis do corpo (1974), Onde estivestes de noite (1974) e A bela e a fera (1979). Junto a cada um desses 22 contos que compõem Clarice na cabeceira, cada um dos leitores convidados compartilha a experiência de ter Clarice Lispector em suas vidas, seja por ter convivido com ela em algum momento, seja apenas por meio de seus livros. Em ambos os casos, a presença da escritora se faz marcante.

Luis Fernando Verissimo presenteia os leitores com recordações da amizade com Clarice. Iniciada primeiro através dos pais, Erico e Mafalda, na década de 50, quando todos viviam nos Estados Unidos, e continuada na década seguinte com a convivência de vizinhos no bairro do Leme, no Rio de Janeiro. A primeira impressão de Verissimo foi igual a de todo mundo: fascinação. Não só pela beleza eslava, pelos olhos meio asiáticos ou pelo erre carregado que dava a sua fala um mistério especial, mas também pelo humor e “aquele jeito de garotona ainda desacostumada com o tamanho do próprio corpo”

Enquanto alguns descrevem o deslumbramento diante do poder de Clarice de criar textos ricos de significados a partir de passagens aparentemente comuns do cotidiano, outros preferem calar-se, como fez Fernanda Torres: “Tenho até vergonha de escrever. Qualquer comentário me parece obsoleto.” Há quem se veja diante de um mistério insolúvel ao lançar um olhar mais demorado sobre determinado texto, como faz Claire Williams, especialista em literatura luso-brasileira da Universidade de Oxford, com “O ovo e a galinha”: “É um conto em que se descobre algo novo em cada leitor, e em que se perde. Nunca o entendo, mas não é propriamente para entender.”


Clarice na cabeceira revela os contos favoritos da autora de A hora da estrela e outros clássicos de acordo com as preferências de 22 formadores de opinião, e deixa no ar, implicitamente, a mesma pergunta para cada leitor: qual o seu texto de cabeceira de Clarice Lispector? .

Cada um dos 22 participantes do projeto indicou uma biblioteca ou instituição para a qual a Rocco doou uma coleção da obra completa de Clarice Lispector.

Mais informações no site oficial da autora: http://www.claricelispector.com.br/ (o site é tudo de bom!)



E finalmente, chegou a biografia (Clarice,)que eu havia comprado no site da Livraria Siciliano e já estava quase surtando porque não chegava. Sei que a Saraiva comprou a Siciliano, mas lá não compro mais. Nunca tive problemas nem com o Submarino, nem com a Saraiva e essa foi a primeira e última vez que compro na Siciliano. Além de demorar mais de uma semana para entregar, nem se dignaram a responder um email que mandei perguntando o porquê da demora.

Ah, fiquei sabendo sobre esse outro livro da Clarice no blog da Fernanda Takai , que tem um texto nesse livro. E o blog dela é muito fofo!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Vida Modelo - John Casablancas



Comecei a ler esse livro ontem a tarde e acabei hoje. O começo achei um pouco chato, depois a leitura "engrenou". Sinopse:

Responsável, à frente da agência Elite, por elevar belas mulheres à condição de supermodelos e ícones da beleza neste século - como Gisele Bündchen e Naomi Campbell -, Jonh Casablancas reúne memórias e confidências em sua biografia.

Um livro que desvela os segredos do mundo da moda e mostra, principalmente, a fascinante história de um empresário bon-vivant e bem sucedido.
 

 
Que vida boa ele teve (e tem ainda)...estudou em escola suíça, com a alta sociedade e até realeza. Namorou mulheres lindas e conviveu com as mais famosas top models de todos os tempos. Pode parecer um livro fútil mas achei legal saber muitas fofocas do mundinho fashion. E ele dedica um capítulo todo do livro à Gisele Bundchen, mas só para espinafrá-la...ela largou a agência ao começar a fazer mais sucesso e não lhe deu o devido crédito.
 
 


O livro é recheado com muitas fotos, algumas belíssimas de modelos em início de carreira, como Cindy Crawford, Naomi Campbell, Gisele, Linda Evangelista entre outras.


Olha a cara da Gisele!!

E John Casablancas é pai do fofo Julian Casablancas, vocalista do grupo The Strokes.


John com Julian bebê.

Mais um selinho!


Ganhei mais um selinho, da Michele, do blog Amante dos Livros e Afins. Muito obrigada, Michele!

Regras:



-Escrever uma lista com 8 características sua.

-Indicar 8 blogueiros para receber o selinho.

Minhas características: paciente, leal, estudiosa, dorminhoca, carinhosa, romântica, organizada, sonhadora.

Agora, as indicações eu deixo para depois das festas, ok?

UPDATE:
Ganhei mais um da Aline do Letras de Sonho que possui as mesmas regras. Obrigada, Aline!


PS. Tenho dificuldades para repassar os selinhos porque os blogs que mais leio já os possuem.

Penguin Books & Companhia das Letras


Li essa boa notícia no site da editora Companhia das Letras:
"Em setembro de 2009, a Companhia das Letras se associou à Penguin Books para publicar edições da Penguin Classics no Brasil. A Penguin Classics é a maior e mais abrangente editora de literatura do mundo, e passa a ser a primeira editora de língua inglesa a publicar clássicos em português.


O selo Penguin-Companhia editará em português obras do riquíssimo catálogo da coleção Penguin Classics, e uma série de clássicos da língua portuguesa, que recuperarão o histórico design "listrado" do início da Penguin, considerado um dos mais importantes da história do design britânico. Os primeiros títulos da coleção serão publicados no segundo semestre de 2010. "

Tomara que o preço seja acessível. Pena que ainda vai demorar um pouco..

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O Solista

Estava navegando no site da Livraria Saraiva e encontrei esse lançamento:




Sinopse:
A caminho de casa, o jornalista Steve Lopez é atraído por uma bela canção de Beethoven; quem está tocando é Nathaniel Ayers, um morador de rua e ex-aluno da Juilliard, uma das escolas de música mais conceituadas do mundo. A forte pressão da escola, os problemas familiares e os surtos cada vez mais frequentes o levaram a abandonar o curso. Diagnóstico: esquizofrenia.

Já havia visto o trailler do filme, que me chamou atenção pela história (e também pelas presenças de Robert Downey Jr. - que adoro - e de Jamie Foxx - que é ótimo). Aqui está o trailler do filme:







Mais um livro para minha infindável lista "quero ler"...

Ganhei um selinho!


Seu blog me faz viajar

Ganhei um lindo selinho da fofa Tábatta do blog Casa Della Nonna. Muito obrigada, Tábatta!
Regras: Escrever sobre três livros marcantes em nossa vida e repassar para cinco blogs amigos.
Os livros:
1- Perto do coração selvagem - Clarice Lispector
É o meu favorito ever! Leio e releio esse livro desde a adolescência e cada vez descubro novos trechos que me tocam.
2- Perdas e ganhos - Lya Luft
Fala muito de emoções e sentimentos, do que perdemos e o que ganhamos ao longo da vida.
3- Reinações de Narizinho - Monteiro Lobato
O primeiro livro que me fez mergulhar no mundo da leitura, desde a sua leitura, não consegui parar mais.

Blogs indicados:
Livros de Bia, da Bia;
Letras de Sonho, da Aline.



Lançamentos Companhia das Letras

Recebi um email com os lançamentos do mês de dezembro da editora Companhia das Letras. Os que achei interessantes foram esses:


Fazendo as Malas - Danuza Leão
Gosto muito do estilo de escrita da Danuza (que intimidade...).

Quando Danuza Leão faz as malas, é o leitor que pode se aprontar para uma boa viagem. Foi assim em seu último livro, o best-seller Fazendo as malas. Não será diferente agora, neste giro por quatro das cidades mais elegantes do mundo.


O primeiro destino é São Paulo. Ali Danuza vai fundo na rota do luxo e do moderno, e ainda arruma tempo para desfrutar uma verdadeira madrugada paulistana, entre festas e casas noturnas povoadas pelas muitas tribos da cidade. Atenta às tendências, ela transforma este relato de viagem numa saborosa crônica de costumes, que seus leitores saberão reconhecer.

O mesmo ela fará em Buenos Aires e em Berlim, as duas próximas paradas do roteiro. Na primeira, um vislumbre da cultura portenha, que passa por cafés, casas de dança, livrarias e cemitérios. Já em Berlim, encontra uma cidade em ritmo de transformação, onde o impacto da queda do Muro se faz ver na moda e na noite, uma das mais concorridas da Europa.

A viagem termina em Londres, cidade referência em moda e consumo, e um dos grandes centros cosmopolitas do mundo. Ao final, um pequeno guia oferece informações sobre os lugares citados.

Morri de vontade de visitar os lugares que ela recomenda no livro anterior e acho que neste não será diferente.


Sangue de Tinta - Cornelia Funke
É a continuação do livro Coração de Tinta, que coloquei no Desafio Literário.


Sangue de tinta dá seguimento à aventura de Meggie e seu pai, Mo, um encadernador de livros que tem o estranho dom de dar vida às palavras dos livros que lê em voz alta, fazendo seres das histórias surgirem à sua frente como que por mágica. No primeiro volume da trilogia Mundo de Tinta, a língua encantada de Mo traz à vida alguns personagens de um livro chamado Coração de tinta, e acaba mandando para dentro da trama a mãe da menina.


Agora, neste segundo episódio, Meggie dá um jeito de entrar ela mesma no mundo fictício de Coração de tinta, onde tem o prazer de encontrar fadas, príncipes e saltimbancos que dançam com o fogo; e o sofrimento de acompanhar as artimanhas de vilões cruéis e sem misericórdia. Uma jornada sombria, repleta de fantasia e aventura.

Estou louca para ler Coração de Tinta e suas continuações.

Campanha Ler é o maior barato

Muito legal a nova propaganda da Turma da Mônica incentivando as crianças a lerem:



Gosto dos gibis da Turminha desde que era criança (faz tempo..) e agora curto novamente com minha filha que a
dora. E também adoramos A Turma da Mônica Jovem estilo mangá, apesar de ser mais para adolescentes, ela ama!





PS: Paguei o maior mico quando minha filha tinha dois anos; fomos ao Parque da Mônica e eu doida para tirar foto com a Mônica na casinha dela...mas Luisa tinha medo e só chorava...fui mesmo assim, ela no meu colo e de costas para foto, com medo...

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Diferente como Chanel



Muito fofo esse livro! Recomendo para quem adora moda e para quem tem filhas,como uma chique iniciação ao mundo da moda. É uma pequena biografia da estilista Coco Chanel feita para crianças (e para adultos também!). Narra sua infância pobre em orfanatos, sua persistência em ser diferente e se destacar apesar da pobreza, seu primeiro e mais importante amor, que a ajudou a abrir sua famosa Maison na rue Cambon e sua famosa carreira de sucesso.
Foi escrito por Elizabeth Matthews, que é ilustradora (fez as maravilhosas ilustrações desse livro); este foi seu primeiro livro infantil. Sobre a estilista francesa, disse: "Quando olho em meu armário, é fácil mensurar o que Coco Chanel realizou para si mesma, para as mulheres, para a moda, e, é claro, para os vestidinhos pretos de todos os lugares."

O livro foi traduzido pela elegante e chiquérrima estilista brasileira Clô Orozco, da Huis Clos.

Algumas das fofíssimas ilustrações:







Vou ler para minha filha e conto se ela se interessou ou não.

Uma Vida Extraordinária - Memórias de Diana Athill



Sinopse:
"Um livro raro à disposição do leitor brasileiro. Esta é melhor definição para "Uma Vida Extraordinária - Memórias de Diana Athill". Vencedor de um dos mais importantes britânicos - o Costa Book Awards - na categoria biografia, o livro é um relato de uma senhora de noventa anos, que se não bastasse o fato de ser uma das mais importantes editoras de livros da Inglaterra, construiu uma trajetória pessoal interessantíssima.


Nascida em 1917, Diana foi funcionária da BBC na Segunda Guerra. Em sua longa carreira de editora trabalhou com autores do calibre de Elias Canetti, Philip Roth e John Updike, ajudando André Deutsch a consolidar a empresa que levava seu nome, uma das mais prestigiosas casas editoriais de seu país.

Ao criar, pela franqueza de suas memórias, uma vasta reputação como escritora, ela descreve de maneira honesta as perdas e ganhos que a velhice traz, resgatando, nesta pequena grande obra, algo muito além de revelações sobre o mundo dos escritores. Repleta de passagens em que fica nítido seu talento em romper tabus, Uma vida extraordinária traz à tona relações e afetos que fogem aos padrões preconcebidos, a arte de exercitar a serenidade diante de relações amorosas, a obstinada fuga dos estereótipos e a confiança de que os laços afetivos mais importantes se sustentam simplesmente pelo que são.

Primeiro livro da memorialista a ser lançado no país, "Uma Vida Extraordinária" é um singelo e emocionante relato de alguém que se entregou à existência de modo absolutamente único."

Estava super empolgada com este livro depois que li a resenha. O que me chamou atenção a pricípio foi o fato de Diana ser uma editora, achei que ela fosse escrever mais sobre seu trabalho, livros editados, convívio com escritores, histórias "pitorescas"... Fiquei um pouco decepcionada quando vi que eram memórias mais íntimas mas logo me encantei com sua franqueza ao narrar fatos importantes de sua vida falando abertamente sobre velhice, proximidade da morte, relacionamentos amorosos, sexo na maturidade, fé em Deus, a escolha de não ter tido filhos e outros assuntos.
Fiquei muito emocionada lendo seu relato dos últimos dias de sua mãe, que morreu com 96 anos.

Alguns trechos interessantes:

Sobre a proximidade da morte:

"É tão óbvio que a vida trabalha em termos de espécies em vez de indivíduos. O indivíduo somente tem de nascer, desenvolver-se até o ponto em que pode procriar e então enfraquecer até a morte para dar caminho para os sucessores; e humanosnão são exceções, seja o que for que imaginem."

Sobre envelhecer fisicamente:
"Aparência é importante para as mulheres mais velhas, não porque supomos que isso irá impressionar as  outras pessoas, mas por causa do nós mesmas vemos quando nos olhamos no espelho."
"A diminuição da energia é uma das coisas mais maçantes da velhice. De vez em quando você tem um dia em que ela parece ser restaurada e você não deixa de sentir que está 'de volta ao normal', mas nunca dura. Você só tem que se resignar a fazer menos - ou, de preferência, fazer mais pausas do que costumava fazer em seja lá o que for que esteja fazendo."

Sobre a doença de sua mãe:
"...a maneira como ela estava um pouco mais velha, um pouco mais desamparada, um pouco mais castigada por aquela vertigem desgraçada, a cada semana que passava - o fato de que a morte estava, por assim dizer, no sótão da sua casa, esperando para descer e fazer algo cruelmente e fatalmente doloroso a ela - me aterrorizava."

É um livro curto e gostoso de ler. No final, me surpreendi e curti muito. Olhem que senhorinha simpática e elegante:




segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

VEJA Meus Livros



Fez sua estreia oficial neste sábado, 12 de dezembro, a ferramenta  VEJA Meus Livros, da Revista Veja, uma rede social que gira em torno dos livros.É um aplicativo semelhante ao Skoob e O Livreiro, mas ao invéns de criar do nada um rede social que tenha o tema livros, ele pode ser utilizado por qualquer um que tenha perfil nas redes do Orkut (que já  está funcionando) e do Facebook (em breve).

No VEJA Meus Livros, é possível organizar uma biblioteca virtual em várias categorias: os volumes que você está lendo ou já leu, aqueles que são seus favoritos, e até aqueles que você gostaria de ganhar de presente. É possível convidar os amigos a compartilhar de suas leituras, postando longas resenhas ou comentários breves - basta um clique para publicar esses últimos no Twitter. Uma parceria com o site da Livraria Cultura também permite que você realize compras on-line.




Como os livros são matéria-prima fundamental para as reportagens de VEJA, reservou-se uma área do aplicativo às contribuições da redação. Lá você vai encontrar, sempre atualizada, nossa lista de mais vendidos, as bibliotecas e resenhas de jornalistas e colaboradores, e um acesso a este novo blog sob o mundo da literatura.

Comecei a fazer minha biblioteca, mas sou muito acostumada com o Skoob então estou estranhando um  pouco o visual do VEJA Meus Livros.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Especial Revista Bravo! 100 Contos Essenciais da Literatura Mundial



Gosto muito da Revista Bravo! mas infelizmente tenho que ir em outras cidades para comprá-la, pois é raríssimo encontrá-la nas bancas de  onde moro (e nem moro no fim do mundo; estou apenas a 90 km de São Paulo, capital...).
Enfim, esse mês comprei a revista normal e esse especial. Os especiais também são muito bons, já comprei alguns pelo site da Loja Abril.
Esse é sobre os 100 melhores contos essenciais da literatura mundial, um ranking das principais obras do gênero em todos os tempos, em textos sobre a produção de Anton Tchekhov, Guy de Maupassant, Edgar Allan Poe, James Joyce, Primo Levi, Jorge Luis Borges, Clarice Lispector, Mark Twain e muitos outros.
Fiquei meio frustrada ao ver que dentre todos os contos citados, só li uns três ou quatro. Na verdade, não tenho costume de ler livros de contos, acho que só li alguns da Clarice Lispector e do Machado de Assis. Também não leio muito escritores russos, que lideram o ranking em número de textos.
Para quem gosta de contos, é um bom guia. E para mim, vai ser ótimo para me ajudar a iniciar a leitura nesse gênero.
Custa R$ 14,90 nas bancas e no site da Loja Abril (no site ainda tem o frete).

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Corrupios!!


Ontem o site Corrupiola lançou sua coleção de verão de lindíssimos Corrupios. Para quem ainda não conhece, Corrupios são caderninhos de anotações charmosíssimos, feitos a mão, com um capricho de dar inveja a qualquer um. Cada um mais lindo do que o outro, ficou super difícil escolher!


Encomendei vários para presentear, difícil vai ser escolher qual dar, dá vontade de ficar com todos para mim.








]








O lançamento da coleção foi ontem às 23 horas. Como tive que fazer minha filha dormir, acabei perdendo esse, que esgotou:




Não são as coisas mais fofas do mundo?

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Desafio Literário - Lista Definitiva



Enfim, consegui fechar de vez minha lista para o Desafio Literário. Mudei bastante coisa, principalmente substitui livros que não tinha por outros que já tinha ou acabei adquirindo recentemente. Eis a lista definitiva:

Janeiro: Romance/Livro de Banca

Livro escolhido: As Virgens Suicidas - Jeffrey Eugenides

Livro reserva: Um Bonde Chamado Desejo - Tennessee Williams


Fevereiro: Contos de Fadas Revisitados

Livro escolhido: As Crônicas de Nárnia - C. S. Lewis

Livro reserva: Penélope - Marilyn Kaye



Março: Clássicos da Literatura Universal

Livro escolhido: Mulherzinhas - Louisa May Alcott

Livro reserva: Razão e Sensibilidade - Jane Austen


Abril : Escritor (a) Latino-americano (a)

Livro escolhido: Confesso que vivi - Pablo Neruda

Livro reserva: Como Água para Chocolate - Laura Esquivel



Maio: Chick-Lit

Livro escolhido: Tem Alguém Aí? - Marian Keyes

Livro reserva: Aqui é o Melhor Lugar - Cecelia Ahern


Junho: Escritora Brasileira

Livro escolhido: Invenção e Memória - Lygia Fagundes Telles

Livro reserva - A Hora da Estrela - Clarice Lispector


Julho: Livro Adaptado para o Cinema

Livro escolhido: Em seu lugar - Jennifer Weiner

Livro reserva: Memórias de uma Gueixa - Arthur Golden


Agosto: Policial/Romance Policial

Livro escolhido:  A Sangue Frio - Truman Capote

Livro reserva: A Rainha do Castelo de Ar - Stieg Larsson



Setembro: Histórico

Livro escolhido: Moça com Brinco de Pérola - Tracy Chevalier

Livro reserva: O Bobo da Rainha - Philippa Gregory



Outubro: Lição de Vida

Livro escolhido: A Guerra de Clara - Clara Kramer

Livro reserva: Um otimista Incorrigível - Michael J. Fox



Novembro: Escritor Português

Livro escolhido: Livro do Desassossego - Fernando Pessoa

Livro reserva: O Ano da Morte de Ricardo Reis - José Saramago


Dezembro: Coração no nome

Livro escolhido: Coração Valoroso - Marianne Pearl

Livro reserva: Coração de Tinta - Cornelia Funke

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Quebrei uma promessa...

Eu havia prometido para mim mesma que não compraria mais nenhum livro até o final do ano e estava evitando ao máximo aqueles e-mails promocionais; deletava-os sem dó. Então, eis que recebo um da Livraria Siciliano, com o livro que mais desejo no momento:





Em promoção. Com frete grátis.
Não consegui resistir.

UPDATE: Achei que estava ficando caduca pois tinha certeza que havia postado sobre esse livro na época do lançamento. Havia escrito o post, mas sei lá o que aconteceu, não foi publicado. Então publico agora, atrasado, para quem quiser mais informações sobre o meu tão sonhado objeto de desejo do momento:

"Já havia feito um post sobre este livro quando foi lançado nos EUA em setembro ( para ler clique aqui). Semana passada, mais precisamente na quinta-feira, ele chegou ao Brasil com o título "Clarice,". Isso mesmo, a vírgula faz parte do título. O uso da vírgula é uma referência ao estilo de escrever da autora, que adorava esse sinal gráfico. O título original do livro não destacou esse detalhe. Quem leu "Uma Aprendizagem, ou o Livro dos Prazeres" lembra que o livro começa com uma vírgula. A foto da capa é da escritora escrevendo em sua máquina.
O livro, escrito pelo jornalista norte-americano Benjamin Moser, revela o terror sofrido pela família judia da escritora durante a Primeira Guerra Mundial e logo após a Revolução Russa na Ucrânia, onde a mãe de Clarice foi estuprada em 1919 por soldados e contraiu sífilis. Ela nasceu em 1920 e cresceu sentindo-se culpada devido a uma antiga crença local de que a gravidez tinha o poder de cura sobre a doença. Clarice nasceu na Ucrânia, foi criada no Recife, adotou o Rio e, logo depois de casar com um diplomata, viveu longos anos mundo afora. Ela morreu um dia antes de completar 57 anos, em 9 de dezembro de 1977. Uma de suas frases mais famosas: "Eu acho que, quando não escrevo, estou morta."

Com certeza, vou colocar esse livro na minha listinha para o Papai Noel..rs..e se ele esquecer, eu mesma compro!" Post não publicado do dia 24/11

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A mulher do viajante no tempo



Terminei já faz um tempo, li super rápido mas ainda não tinha tido tempo de escrever sobre esse livro, tão comentado nos blogs por aí. Para quem ainda não conhece a história, aqui está a sinopse:



"A Mulher Do Viajante No Tempo conta a história do casal Henry e Clare. Quando os dois se conhecem Henry tem 28 anos e Clare, vinte. Ele é um moderno bibliotecário; ela, uma linda estudante de arte. Os dois se apaixonam, se casam e passam a perseguir os objetivos comuns à maioria dos casais: filhos, bons amigos, um trabalho gratificante. Mas o seu casamento nunca poderá ser normal.


Henry sofre de um distúrbio genético raro e de tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás, e ele então é capaz de viajar no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro.

Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação.

Em A Mulher Do Viajante No Tempo, a autora mostra com muita sensibilidade, inteligência e bom humor que o verdadeiro amor é capaz de transpor todas as barreiras ? inclusive a mais implacável de todas: o tempo."

Lindo livro, daqueles que não conseguimos largar até acabar, dormimos pensando no que  acontecerá depois e quando a história termina, sentimos saudades dos personagens como se fizessem parte da nossa vida. Confesso que me perdi um pouco no começo, com tantas indas e vindas no tempo, mas logo me situei...
Gostei de uma parte na qual Clare se compara à Penélope, sempre à espera de seu amado Ulisses, do livro "Odisséia", de Homero. É engraçado porque sou também um pouco Penélope, meu marido viaja bastante (não no tempo, ainda bem) e estou sempre esperando sua volta...

Já li por aí que a adaptação para o cinema "Te amarei para sempre" não está a altura do livro. Quase nunca uma adaptação se equipara ao livro, né? Quando comprei o livro ganhei um ingresso para o filme mas não sei se consigo usar aqui no interior.

Promoção no Lost in Chick-Lit



A Juliana, do blog Lost in Chick-Lit está sorteando esta biografia maravilhosa do Michael J. Fox (ele fez parte de toda minha adolescência, via todos os seus filmes). Para participar, é só clicar aqui.

sábado, 5 de dezembro de 2009

O Contador de Histórias

Além da paixão pelos livros, também sou apaixonada por filmes( também adoraria morar em uma locadora..rs). Sempre gostei muito de ir ao cinema e ver filmes em casa (sou da época do VHS). Depois que minha filha nasceu, cinema para mim é filme infantil então acabo vendo filmes "adultos" em DVD mesmo. Estou meio defasada em relação aos lançamentos, está difícil conciliar tudo e ainda conseguir ver filmes. Além disso, também adoro séries...haja tempo para fazer tudo que gosto! Mas voltando aos filmes...agora, tive que assistir alguns para um trabalho da faculdade e este é um deles:





Filme – O Contador de Histórias (2009)


“Ele escreveu sua história contando muitas outras”

“O Contador de Histórias” relata a trajetória de Roberto Carlos Ramos, um menino cheio de imaginação, que nos anos 70, é deixado aos sete anos pela mãe em uma entidade assistencial recém criada pelo governo (FEBEM). Aos treze, após incontáveis fugas, ele é classificado como “irrecuperável” nas palavras da diretora da entidade. Contudo, para a pedadoga francesa Margherit Duvas, que vem ao Brasil para o desenvolvimento de uma pesquisa, Roberto representa um desafio. Determinada a fazer do menino o objetivo de seu estudo, ela tenta se aproximar dele. O que surge entre os dois é uma relação de amizade e ternura, que porá em cheque a descrença de Roberto em seu futuro e desafiará Margherit a manter suas convicções.

Em uma primeira conversa com Roberto, ainda na FEBEM, o que chama a atenção de Margherit é sua fértil imaginação e a criatividade ao inventar uma história contando o porquê de estar na entidade. Ele fantasia um grandioso assalto a um banco com toda sua família, mas na realidade, sua mãe resolveu levá-lo a FEBEM para livrá-lo da pobreza e por acreditar na propaganda da instituição que prometia um futuro promissor para cada criança, como médico, advogado ou engenheiro.

Nesse primeiro encontro, Roberto se surpreende com o tratamento que recebe de Margherit: “Nunca ninguém tinha me dito ‘com licença’ ou ‘por favor’”- ele diz da maneira que ela o aborda. A partir desse momento, Margherit tenta se aproximar de Roberto, mas ele se mostra muito arredio. Somente após ser violentado por meninos de rua, ele vai até a casa da pedagoga e lá permanece, mas sem contar o motivo de sua fuga. Aos poucos, Margherit ganha sua confiança e ele reconstitui a história de sua vida com extrema fantasia e alguma poesia, imaginando a realidade como ele vê. Descobre o amor pela leitura através do livro “Vinte Mil Léguas Submarinas” que o leva a conhecer outro mundo.

Quando Margherit precisa voltar à França e vai se despedir da diretora da FEBEM, ouve dela:

- Roberto teve sorte. E ela responde:

- Não foi só sorte. Foi trabalho. Eu sabia que um menino de treze anos não podia ser considerado “irrecuperável”.

Ela retorna à França juntamente com Roberto, que cursa Pedagogia e faz pós-graduação em literatura infantil. Hoje é considerado um dos dez maiores contadores de histórias do mundo. Quando voltou ao Brasil, reencontrou sua mãe e cuidou dela até sua morte, em 2006. Adotou treze meninos de rua, que considera sua família.

O filme é realmente encantador ; Roberto nos cativa com uma história de vitória contada por um vitorioso. Nos mostra que nenhuma criança ou adolescente é “irrecuperável”. Educar é uma tarefa extremanente trabalhosa mas vale a pena, como mostra a linda história de Roberto, ao sair de uma vida de roubos, drogas e abandono para uma vida dedicada à educação de crianças como ele. Quando estudante, voltou a FEBEM como estagiário e cativou as crianças com sua rica imaginação. No final do filme, o verdadeiro Roberto aparece contando histórias para um grupo e é inspirador ver a paixão com que faz seu trabalho.



Ficha técnica:

Elenco:

Maria de Medeiros Marco Ribeiro

Paulo Henrique Mendes Cleiton Santos

Malu Galli Ju Colombo

Daniel Henrique da Silva



Direção: Luiz Villaça

Produção: Francisco Ramalho Jr

Denise Fraga

Fotografia: Lauro Escorel

Trilha Sonora: André Abujamra

Márcio Nigro

Muito lindo e inspirador.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A Terceira Xícara de Chá - Greg Mortenson



Li esse livro já faz um bom tempo e sempre quis colocar uma resenha dele aqui. Como estou fazendo uns trabalhos para entregar na faculdade como atividades extracurriculares, acabei escrevendo sobre ele, que tem tudo a ver com educação.
Um montanhista inspirado pela trágica morte de sua irmã em 1992, inicia o projeto de escalar o K2 no Paquistão, a segunda montanha mais alta do mundo. Após 78 dias de escalada, o norte-americano Greg Mortenson se encontra exausto, abatido e emocionalmente cansado. Um homem da região se torna amigo do alquebrado homem e o ajuda a se recuperar na aldeia de Korphe, nas encostas do Himalaia. Tocado pela brutal pobreza da região, decide dedicar sua vida estabelecer escolas para meninas em zonas remotas da Ásia Central, principalmente na região paquistanesa e no vizinho Afeganistão. Mesmo sendo um “sem-teto” que dormia em seu carro velho em Berkeley, California, vende tudo o que tinha e começa uma das campanhas humanitárias mais notáveis de nossos dias. E o livro “A terceira xícara de chá” ( Ediouro, 352 páginas), descreve a odisséia de Mortenson perante os dez anos, que construiu escolas na região onde nasceu o Talibã e que serviu de refúgio para a Al-Qaeda. Declarou guerra às raízes do terrorismo – pobreza e ignorância - , fornecendo uma educação equilibrada e não extremista. Mas, por contrariar interesses, foi vítima de sequestro por militares extremistas e recebeu fatwas de mulás enfurecidos, além de ameaças de morte pelos seus compatriotas norte-americanos que o consideravam um traidor, sofreu com a dolorosa separação de sua família, mas em vez de desistir, ganhou a confiança e o respeito líderes islâmicos, comandantes militares, líderes tribais, entre outros.


Desde a realização de sua primeira e difícil promessa, já ergueu 55 escolas que atendem às comunidades do Paquistão e do Afeganistão.

Quando estava se recuperando na aldeia, Greg foi tão bem tratado por aquele povo humilde que resolveu fazer algo por eles. Pensou em usar o último dinheiro que possuía para comprar livros didáticos para serem usados na escola ou qualquer outro material escolar. Quis visitar a escola local. Ficou muito espantado ao ver 82 crianças, 78 meninos e 4 meninas ajoelhados no chão gelado, a céu aberto. Descobriu então que a aldeia não possuía uma escola e que o governo paquitanês não lhes mandara um professor e eles dividiam um professor com a aldeia vizinha alguns dias por semana. Na “escola”, as crianças copiavam a tabuada no chão com gravetos. Algumas tinham uma madeira na qual escreviam com varetas com a ponta umedecida de lama. Isso cortou seu coração; havia neles uma vontade muito grande de aprender apesar de todas as dificuldades.

Greg é tão persistente na sua obstinada campanha de construção das escola que começamos a duvidar que exista alguém no mundo tão apaixonado por uma causa, no caso a educação, ao ponto de colocar seu casamento e até mesmo sua vida em perigo. E, no decorrer do livro, vamos nos convencendo que ele é real e não um super herói de filme de ação americano, pois sofre e tem defeitos como qualquer ser humano “normal” (ele é extremanente desorganizado).

O título do livro vem da seguinte passagem: “Na primeira vez que você toma chá com um balti (povo paquitanês), você é um estranho. Na segunda vez, é um convidado de honra. Na terceira, você já faz parte da família”.



Depois dos atentados terroristas aos Estados Unidos pela Al – Qaeda, o mundo inteiro se perguntava o porquê disso tudo ter acontecido. No filme “Jogos de Poder”, com Tom Hanks e Julia Roberts, que retrata a vida do congressista americano Charles Wilson, que negociou uma aliança entre paquistaneses, egípcios, israelenses e o governo norte-americano, para que os Estados Unidos financiassem uma resistência que impediria o avanço soviético no local. Vencida a luta, em uma reunião com políticos americanos, Wilson cobra dos congressistas ajuda financeira para reconstruir o Afeganistão, construindo escolas. E recebe como resposta: “Não temos mais nada a ver com eles.”

Essa também foi a ideia de Mortenson, combater a pobreza e o terrorismo com educação. Além de luta para construir escolas que fossem diferentes das madrassas, incentivou o estudo feminino, já que as meninas sofrem muito para conseguir estudar nesses países. Criou o Instituto da Ásia Central que possui a missão central de promover educação, principalmente para meninas, em regiões remotas do Afeganistão e Paquistão.


Aprovadíssimo, muito bom mesmo!

PS. Para quem tem deixado comentários com votos de boas provas, muito obrigada. Talvez eu demore um pouco para responder, estou em uma correria só, mas prometo que respondo.


terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Sumiço!!!





Voltei! Quase fiquei louca essa semana...primeiro, porque meu computador simplesmente "morreu" bem no início das minhas provas e como faço faculdade à distância e preciso do computador para tudo, imaginem o meu desespero...segundo, morri de saudades do meu blog e de todos os que sigo, sempre leio e deixo algum comentário. Só preciso me reorganizar (perdi TUDO que tinha no meu HD), me preparar para as provas e voltarei com força total!!

PS. Descobri que se por acaso algum dia for parar em algum lugar sem acesso a tecnologia provavelmente sofrerei muito..rs..