quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Educar para Crescer


"Educar para Crescer foi criado para ampliar o impacto das iniciativas de Educação do Grupo Abril e tornar a Educação a grande pauta nacional. É um movimento de longo prazo e sem fins lucrativos que conta com o apoio do Ministério da Educação e com a força do Grupo Abril para estimular boas práticas e destacar a importância da Educação para o crescimento do Brasil e seus cidadãos."
(Fonte: www.educarparacrescer.com.br)


Achei o site excelente, com entrevistas com educadores, dicas de leitura além de testes divertidos como "Que livro é você?" ou "Que mãe sou eu?" Além do site, há sempre publicações em revistas do Grupo Abril, como esta que saiu este mês na revista Claúdia e que eu adorei:

" 9 Maneiras de incentivar seu filho a ler:

1- Leia sempre. É bom para você e excelente para seu filho, que seguirá seu exemplo naturalmente;

2- Leia e conte histórias desde bebê - pesquisas comprovam que o contato com narrativas melhora o futuro desempenho. É importante usar a emoção;

3- Dê livros ou revistas de presentes;

4- Deixe livros ao alcance das mãos para que ele folheie, veja as figuras e invente histórias;

5- Reserve um horário do dia para a leitura e transforme esse tempo em um momento de prazer - pode até estourar pipoca!

6- Comente o livro com ele e o incentive a contar a história a alguém;

7- Repita a leitura do livro quantas vezes ele quiser;

8- Leve-o para explorar as bibliotecas próximas de sua casa;

9- Estimule atividades que exijam a leitura - jogos, receitas, mapas."


Fiquei feliz ao ver que já faço muito disso com minha filha. Só preciso mudar o horário da leitura; sempre lemos para ela antes de dormir e ultimamente eu e meu marido temos reclamado de cansaço e a leitura está sendo deixada para trás.

"Os livros podem mudar seu futuro. Basta ler 15 minutos por dia."

" O Brasil só melhora com Educação de qualidade. E você tem tudo a ver com isso."

Estudante de Letras




Enfim, após quase 15 anos de formada (como estou velha!!!), vou começar outra faculdade, de Letras. É um curso que não tem nada a ver com minha profissão, Bióloga, mas que de repente senti vontade de cursar, provavelmente porque adoro ler. Vai ser meio estranho voltar a estudar depois de tanto tempo...mas o bom é que não vou precisar ir até a faculdade, pois farei o curso à distância. Iria ser esquisito, sentar no meio de tanta gente bem mais nova do que eu...


Bom, vamos ver se vou gostar..

terça-feira, 11 de agosto de 2009

"Brasileiro não gosta de ler? " por Lya Luft


Maravilhoso o artigo escrito por minha quase xará na revista Veja dessa semana...sempre gosto muito do que ela escreve na Veja e de seus livros também e acho que dessa vez ela se superou. Esse artigo, de um modo geral, questiona o gosto (ou a falta de) brasileiro de ler. Partes interessantes:

- ela diz que em sua casa o livro era um objeto cotidiano, como pão e leite;

- incentivo à leitura deve começar com as crianças, oferecendo a elas livros de seu interesse e não clássicos da literatura, que as vezes pode assustar quem não tem muita familiaridade com livros;

- as escolas deveriam "seduzir" as crianças tornando a leitura mais divertida e interessante, começando por crônicas, por exemplo;

- "O que é preciso é ler". Disse tudo. Ler revistas, jornais, tudo que faça exercitar o cérebro. Eu acrescentaria também gibis, visto que comigo e com meu marido funcionou bem e vejo que está funcionando com minha filha;

- e para terminar, o imprescindível é que essas crianças sejam devidamente alfabetizadas, ou seja, ler e entender o que está escrito. "...com 9 ou 10 anos o aluno ainda não usa com naturalidade a língua materna, pouco se pode esperar. E não há como se queixar depois, com a eterna reclamação de que brasileiro não gosta de ler: essa porta nem lhe foi aberta."


De novo: disse tudo!

Quarta-feira de cinzas - Ethan Hawke


Terminei de ler "Quarta-feira de cinzas" de Ethan Hawke. Para quem não sabia, o ator de filmes como "Sociedade dos Poetas Mortos", "Grandes Esperanças", "Antes do Amanhecer", "Gattaca", "Antes do Pôr-do-Sol" e muitos outros, também é escritor e diretor. O primeiro livro que ele escreveu foi "The Hottest State - Um Amor Jovem" que foi adaptado por ele mesmo para o cinema em 2006, no qual também atuou. (Estou procurando esse livro há tempos, mas ainda não encontrei. Assisti uns pedaços do filme no Telecine, pois não encontrei nas locadoras também).

"Quarta-feira de Cinzas" é seu segundo livro, lançado em 2003. Seu subtítulo é: "Existe algo mais assustador do que estar apaixonado?" Por essa frase, dá para ter uma ideia do conteúdo do livro...ele narra a tumultuada e intensa história de James Heartsock e Christy Ann Walker. Ele, um segundo-sargento que deserta do Exército logo depois de terminar o namoro com ela, que trabalha no serviço social de um hospital. Arrependido, Jimmy a pede em casamento. Mas Christy, que está grávida, decide voltar para casa do pai, no Texas, a fim de enfrentar seu passado e repensar seu futuro.

Gostei muito do livro. Moderno, com linguagem atual, conforme fui lendo fui imaginando a história como um filme, ágil e envolvente. Ethan ficaria perfeito no papel de Jimmy.
E para matar as saudades, o primeiro papel marcante de Ethan Hawke, Todd Anderson, no emocionante final de "A Sociedade dos Poetas Mortos".
Captain! My Captain!



segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Lançamentos da Companhia das Letras








O Leitor Apaixonado - Ruy Castro
Sinopse: "O leitor apaixonado é uma coletânea de 45 artigos escritos originalmente para a imprensa e selecionados por Heloisa Seixas, mas retrabalhados para este livro pelo próprio Ruy Castro. Por ele desfilam tanto os grandes nomes da literatura, como Oscar Wilde, Dorothy Parker, Nelson Rodrigues, Oswald e Mario de Andrade, F. Scott Fitzgerald e a francesa Colette, como autores de quem você talvez nunca tenha ouvido falar, como Théo-Filho, João de Minas e Pedro Carolino - mas com quem vai se divertir ao ler suas incríveis peripécias narradas por Ruy Castro. Em comum entre esses escritores é que, embora todos tenham sido famosos um dia, foram também tremendamente malditos em alguma época de suas carreiras. Alguns sofreram durante anos para vencer. Outros venceram de saída, mas foram depois abandonados pelo público. Alguns desses derrotados conseguiram recuperar o prestígio e voltaram ao panteão da literatura. Outros continuaram solidamente esmagados e esquecidos - até serem "ressuscitados" por Ruy Castro. "





Fernando Pessoa - O menino da sua mãe - Amélia Pinto Paes

Sinopse: "Recompondo a trajetória do poeta, na primeira parte do livro Amélia Pinto Pais escreveu uma espécie de autobiografia de Fernando Pessoa, como se ele, à moda de Brás Cubas, contasse a sua história depois de morto. Na segunda parte, ela resgata poemas dedicados às crianças e outros pinçados dos livros Mensagem e Cancioneiro. E apresenta ainda os heterônimos Alberto Caeiro, Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Bernardo Soares e alguns dos poemas escritos por eles.Com ilustrações da designer brasileira Mariana Newlands, Fernando Pessoa, o menino da sua mãe não é apenas uma homenagem ao escritor, mas é principalmente um livro dedicado aos jovens leitores, pois, ainda que não entendam a complexidade do poeta, eles podem ser fisgados por sua história ou pela musicalidade de seus poemas. Nas palavras da autora, "aquilo que lemos e nos agrada em criança - mesmo que só pelo ouvido - aprenderemos a amar e entender melhor quando adultos".


Ensaio Autobiográfico - Jorge Luis Borges


Sinopse: "Neste texto, um dos mais longos de um autor conhecido pela concisão e frugalidade, Borges fala de seus ancestrais paternos e maternos, de sua infância quase isolada do mundo, de suas experiências ruins na escola e daquilo que ele mesmo chama de "evento principal" de sua vida: a grande biblioteca de seu pai, da qual ele acredita "nunca ter saído". A partir dessas primeiras leituras, quase todas em inglês, ele traça a autobiografia literária e intelectual que compõe o cerne do livro. São informações preciosas para compreender a formação e a carreira de um dos escritores mais singulares do século XX."
(Fonte: Site da Editora Companhia das Letras)
PS: Nem se eu vivesse mil anos iria conseguir ler tudo o que desejo....









sábado, 1 de agosto de 2009

Prazeres











"O primeiro olhar da janela de manhã




O velho livro perdido e reencontrado




Rostos animados




A neve, a sucessão das estações




Jornais




O cachorro




A dialética




Tomar um banho




Nadar um pouco




A música antiga




Sapatos macios




Compreender




A música nova




Escrever




Plantar




Viajar




Cantar




Ser camarada"








Bertold Brecht

Frase sobre Livros 4

"Leia para viver" - Gustave Flaubert