quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Minha vida de menina - Helena Morley


Acabei de ler ontem, que livro mais gostoso de ler...já havia falado sobre ele brevemente nest post aqui , agora vou falar mais. Sinopse:

"Aclamado por escritores como Carlos Drummond de Andrade e João Guimarães Rosa, analisado a fundo por críticos como Roberto Schwarz e Alexandre Eulálio, Minha vida de menina é o diário de uma garota de província do final do século XIX. Publicado pela primeira vez em 1942, antecipa a voga das histórias do cotidiano ao traçar um retrato vivo e bem-humorado da vida em Diamantina entre 1893 e 1895. Da estagnação econômica provocada pelo declínio da mineração ao surgimento de inúmeras modalidades de trabalho entre a escravidão e o regime salarial, a pequena Helena Morley (pseudônimo de Alice Dayrell Caldeira Brant) compõe um painel multicolorido de um momento histórico singular no Brasil, ao mesmo tempo em que revela as inquietações típicas de uma adolescente."

Quando Helena era criança, seu pai aconselhou-a a escrever um diário sobre seu dia-a-dia; ela seguiu o conselho do pai e escreveu esse diário entre os doze e quinze anos, anotando comentários sobre a família e também sobre a vida da cidade, seus costumes, relações sociais e contradições.

Nesse momento da vida, Helena é magra, desengonçada, e sardenta: se acha feia. Não é boa aluna, nem comportada como sua irmã Luizinha; seu apelido é "Tempestade". Mas Helena, como nenhuma outra garota de Diamantina, escreve. É moleca, arteira, cheia de opiniões, sem papas na língua e é muito divertido vê-la narrando um dia-a-dia tão diferente do nosso de um jeito tão leve e despretencioso. E sempre com muita franqueza:

"Não sei por que até hoje todo o mundo diz que tinha pena dos escravos. Eu não penso assim. Acho que se fosse obrigada a trabalhar o dia inteiro não seria infeliz. Ser obrigada a fica à toa é que seria castigo para mim."

Outra:

"Padre Neves me disse outro dia, quando lhe contei que um primo me havia dito que o homem vem do macaco, que é um grande pecado ouvir essas coisas. Eu não tinha visto, na História Sagrada, a história de Adão e Eva? Eu calei. Mas se Padre Neves conhecesse o macaco que tem aqui na vizinhança, até ele era capaz de acreditar. Esse macaco é mais inteligente do que muitos meninos que eu conheço."


O livro foi traduzido para o inglês por Elizabeth Bishop e chegou a despertar dúvidas sobre a idade da autora ao escrevê-lo. À suspeita de que teria sido escrito na maturidade, Guimarães Rosa contestou que, neste caso, não conhecia em nenhuma outra literatura "mais punjante exemplo de tão literal reconstrução da infância"  Foi adaptado para o cinema em 2004 com Ludmila Dayer interpretando Helena. Assisti e é uma graça. Só que mostra bem mais do que o livro, que termina de repente, sem dizer o que acontece dali em diante. Só assistindo ao filme para saber.


12 comentários:

  1. Lia,
    Já está em minha lista para futuras leituras, não sabia que existia também o filme baseado neste livro...mais quero ler o livro primeiro.

    ResponderExcluir
  2. è, eu tb acho mais legal ler o livro primeiro..só que dessa vez inverti..

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lia!

    Também já tive essa experiência de ler o livro depois. A primeira vez foi com o Código da Vinci.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Lia!
    Também quero morar em uma livrariaaaaa!

    Hahahaha

    Adorei seu blog!
    Quando puder me faça uma visitinha!

    http://livrosdebia.blogspot.com

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Li esse livro quando estava na oitava série e na época lembro q não gostei muito. Não sei o que acharia se lesse de novo, porque minhas opiniões sobre algumas obras mudaram bastante nesses 9 anos, rs. Lembro de ter rido com algumas "artes" da Helena, rs.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lia!!!

    Amei seu blog !!também sou apaixonada por livros, revistas, jornais... Aprendi a ler muito nova e desde então, sou vidrada em letrinhas, estejam elas onde estiverem... Tenho Minha Vida de Menina, 1ª edição e vi o filme, que é apaixonante.
    Beijos e muito sucesso pra você!!!

    Lídia

    ResponderExcluir
  7. Lia,

    Seu blog é muito interessante. Ainda não li este livro, mas vou procurar lê-lo.

    Abraço,

    Luiz Jomar

    ResponderExcluir
  8. Eu nao li o livro todo sò algumas partes e assim jà gosto!! Vi ele no meu livro de portugues da escola e me interessei bastante..

    ResponderExcluir
  9. Amai, este Livro espero q eu consiga encontrar ele na versão de um Filmee..
    D+

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria Laura
      O filme tem o mesmo nome do livro! Bjs

      Excluir
  10. Olá, pessoal !

    Adorei este blog e em particular este post. Já li este livro algumas vezes e sempre é agradável ver uma obra escrita com um tema tão sutil mas bem estilizada por uma autora precoce e genial como ela.

    Sobre o filme homônimo, ele é de 2003, com Ludmila Dayer como a protagonista e direção de Helena Solberg.

    Aqui está o link do filme completo (com 100 minutos de duração) no youtube:

    https://www.youtube.com/watch?v=Q41O31EeMhc

    Enfim, desde já guardei este blog no meu feeds/rss e vou continuar sempre voltando aqui.

    Tchau e até a próxima.

    ResponderExcluir
  11. Helena Morley (pseudônimo de Alice Brant) foi a escritora que mais impressionou Georges Bernanos enquanto este esteve no Brasil. Além disso, Alceu Amoroso Lima, Edgar da Mata Machado, Geraldo da França Lima e Murilo Mendes foram alguns dos intelectuais brasileiros marcados pela passagem do escritor francês por aqui. A visita que ele recebeu de Stefan Zweig à véspera de este suicidar-se, sua revolta contra a mediocridade dos intelectuais e a ascensão do totalitarismo e sua amizade com pensadores brasileiros são alguns dos detalhes narrados por Sébastien Lapaque em “Sob o Sol do Exílio: Georges Bernanos no Brasil (1938-1945)”, obra que acaba de ser lançada pela É Realizações Editora, dando continuidade à Coleção Georges Bernanos.

    Matérias na Folha de S. Paulo a propósito do lançamento do livro:
    “Descendentes de Bernanos estão espalhados pelo Brasil”: http://goo.gl/ymS4lL
    “Sob o sol de Barbacena”: http://goo.gl/O8iFve

    Para ler algumas páginas de “Sob o Sol do Exílio”: http://goo.gl/6hAEOM

    Confira também:
    Diálogos das Carmelitas: http://goo.gl/Yy3ir3
    Joana, Relapsa e Santa: http://goo.gl/CAzTTk
    Um Sonho Ruim: http://goo.gl/Kd091z
    Diário de um Pároco de Aldeia: http://goo.gl/ISErLc
    Sob o Sol de Satã: http://goo.gl/qo18Uu
    Nova História de Mouchette: http://goo.gl/BjXsgm


    ANDRÉ GOMES QUIRINO
    mkt1@erealizacoes.com.br
    (11) 5572-5363 r. 230

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo