quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Um pouco de Drummond


Fiquei com vontade de ler Drummond hoje, adoro..

"Mundo mundo vasto mundo
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração." ( Poema de Sete Faces)





"Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.

Tempo de absoluta depuração.

Tempo em que não se diz mais: meu amor.

Porque o amor resultou inútil.

E os olhos não choram.

E as mãos tecem apenas o rude trabalho.

E o coração está seco.



Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.

Ficaste sozinho, a luz apagou-se,

mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.

És todo certeza, já não sabes sofrer.

E nada esperas de teus amigos.



Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?

Teus ombros suportam o mundo

e ele não pesa mais que a mão de uma criança.

As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios

provam apenas que a vida prossege

e nem todos se libertaram ainda.

Alguns, achando bárbaro o espetáculo,

prefeririam (os delicados) morrer.

Chegou um tempo em que não adianta morrer.

Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.

A vida apenas, sem mistificação." (Os ombros suportam o mundo )


"Que pode uma criatura senão,


entre criaturas, amar?

amar e esquecer,

amar e malamar,

amar, desamar, amar?

sempre, e até de olhos vidrados, amar?" (Amar)

3 comentários:

  1. Drummond é de um lirismo cálido... tão bonito... Meu conterrâneo (somos de Itabira, MG)!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lia
    Adorei seu blog, vc sabe que tbm gostaria de morar numa livraria..rsrsrs
    Dê uma passadinha no meu blog.
    Ah, eu vi que vc está lendo "De volta para casa", nossa é muito lindo né?!
    Um bj.

    ResponderExcluir
  3. Oi Flor

    tem selinho novo para vc la no blog ta, da uma passadinha lá para pegar ok?

    http://coisassdemulher.blogspot.com/

    beijos

    ResponderExcluir

Adoro ler comentários...na medida do possível, responderei aqui mesmo